Publicações

LIVROS
 
AYOUB, E. Ginástica geral e educação física escolar. Campinas: Editora da Unicamp, 2004. Reedição 2007.
 
PAOLIELLO, E. et al (ORG.). Ginástica geral: experiências e reflexões. Barueri: Phorte, 2008
 
PAOLIELLO, E. e TOLEDO, E. (org.) Possibilidades da Ginástica Rítmica. Barueri: Phorte, 2010.
 
 
Eliana de Toledo e Paula Cristina da Costa Silva(org.). Democratizando o ensino da ginástica, 2012
 
 
ANAIS DE CONGRESSOS  (varios pdf's)
anais.jpg
 
ARTIGOS
- OLIVEIRA, M. S. ; BORTOLETO, M. A. C. ; SOUZA, C. M. ; LIMA, H. C. F. ; ANTUALPA, K. F. ; TANAN, D. . PESQUISA EM GINÁSTICA: A PRODUÇÃO DA PÓS-GRADUÇÃO DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA UNICAMP. Conexões (Campinas. Online), v. 7, p. 41-60, 2009. 
- MILANI, C. ; SOARES, D. B. ; BORTOLETO, M. A. C. . GINÁSTICA: A PRODUÇÃO DOS ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA UNICAMP 1985-2014. Coleção Pesquisa em Educação Física, v. 14, p. 89-98, 2015.
 
REVISTAS
 
 
EXPOSIÇÕES
 
TESES DE DOUTORADO

SOUZA, E.P.M. Ginástica Geral: uma área do conhecimento da Educação Física, 1997, 163 f. Tese (Doutorado em Educação Física)- Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física, 1997.

Resumo
Este estudo focaliza a Ginástica Geral, uma modalidade não competitiva em expansão no Brasil, com o objetivo de contextualizá-la e justificá-la como uma área do conhecimento da Educação Física. A partir de um aprofundamento sobre o universo da Ginástica e seus conceitos, foram analisados os campos de atuação, os conteúdos que a compõem e a estrutura da Ginástica no mundo. O presente trabalho levantou dados que possibilitaram uma nova visão da Ginástica Geral de acordo com a sua realidade no mundo, no continente americano, em nível nacional e, finalmente, no contexto acadêmico. Tomando como base a experiência de 8 anos do Grupo de Pesquisa - Grupo Ginástico Unicamp, esta tese apresenta a concepção de Ginástica Geral desenvolvida e veiculada por este grupo, a qual se fundamenta nos princípios norteadores: formação humana e capacitação, tendo como objeto de estudo a cultura corporal e como paradigma de orientação a Socialização/Sociabilização. A trajetória metodológica do trabalho desenvolveu-se a partir da coleta e análise de dados oriundos de fontes diversificadas como: 1. entrevistas semi-estruturadas com ginastas, professores, técnicos e dirigentes brasileiros e estrangeiros; 2. observações em: festivais internacionais da área, estágio em clubes e escolas da Dinamarca, encontros e cursos de Ginástica Geral e filmagens do processo de elaboração de composições do Grupo Ginástico Unicamp. Como ponto complementar e relevante da pesquisa foram colhidos depoimentos de integrantes do Grupo Ginástico Unicamp a partir da pergunta geradora: Qual o significado de sua participação como integrante do Grupo Ginástico Unicamp? Foi feita a análise de conteúdo dos discursos e levantadas categorias dentro dos aspectos: formação humana e capacitação, que possibilitaram a interpretação dos resultados. Este trabalho vem justificar a Ginástica Geral como uma área do conhecimento da Educação Física, amenizar a escassez de bibliografia específica nesta área no Brasil, além de oferecer uma proposta de aplicação da Ginástica Geral para a Educação Física escolar e comunitária.

AYOUB, E. A ginástica geral na sociedade contemporânea: perspectivas para a educação física escolar. Campinas, 1998. 187 f. Tese (Doutorado em Educação Física)- Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física, 1998.

Resumo
Esta pesquisa de doutorado teve como objetivos centrais compreender como a ginástica geral (GG) vem manifestando-se na sociedade contemporânea e discutir as suas perspectivas para a educação física escolar. Para tanto, foi realizada uma pesquisa de campo em dois momentos: no primeiro, com a intenção de encontrar informações sobre a GG no mundo e no Brasil, foram feitas observações de eventos nacionais e internacionais de ginástica geral e entrevistas com ginastas, professores e dirigentes (brasileiros e estrangeiros); e no segundo, visando aprofundar a discussão em torno das perspectivas da GG no contexto escolar, foi desenvolvido um projeto de ginástica geral com professores de educação física das escolas públicas de Campinas. No decorrer do estudo, projeto a imagem da ginástica geral na sociedade contemporânea, tomando como referência básica para a reflexão a trajetória de sistematização da ginástica desde o século XIX, o processo de estruturação da GG na Federação Internacional de Ginástica no século XX e o conjunto das informações conseguidas no “Primeiro Momento” da pesquisa de campo. Procuro, de um lado, identificar significados que têm acompanhado a difusão da GG em nossos dias e, de outro, conferir-lhe novos significados que permitam potencializar o seu caráter “transformador”. Na medida em que a imagem da ginástica geral vai sendo projetada, podemos visualizá-la como uma prática corporal que promove uma composição entre elementos do “núcleo primordial” da ginástica e das diversas manifestações gímnicas que vêm sendo construídas ao longo desses dois últimos séculos e como uma atividade que traz consigo a possibilidade de redescobrirmos o prazer, a inteireza e a técnica/arte da linguagem corporal. Posteriormente, situo a trajetória da ginástica no contexto escolar brasileiro e aprofundo o significado da ginástica geral como conhecimento a ser estudado na educação física escolar, reconhecendo-a como o caminho mais apropriado para reconstruirmos, para recriarmos a ginástica na escola numa perspectiva de “confronto” e síntese e, também, numa perspectiva lúdica, criativa e participativa. Em seguida, imagino um projeto de GG nas escolas públicas de Campinas, a partir do qual discuto as suas possibilidades de desenvolvimento no âmbito escolar.

BORTOLETO, M.A.C. A Lógica interna da Ginástica Artística Masculina (GAM) e estudo etnográfico de um ginásio de alto rendimento. Tese (Doutorado)- Instituto Nacional de Educação Física da Catalunha (INEFC) Universidade de Lleida (Espanha), Lleida, 2004.
 
Resumo
Esta pesquisa apresenta três pontos fundamentais: em primeiro lugar uma análise da lógica interna da Ginástica Artística Masculina (GAM), do ponto de vista da Praxiología Motriz; em segundo, uma descrição da dinâmica de funcionamento de um Ginásio de treinamento de alto rendimento e por último, uma análise transversal que pretende mostrar tanto o grau de congruência entre as características mais significativas da lógica interna quanto a cultura de treinamento da GAM que envolvem a preparação de ginastas de elite. A análise da lógica interna consistiu num estudo teórico realizado fundamentalmente com base na análise de conteúdo do regulamento, neste caso o Código de Pontuação editado pela Federação Internacional de Ginástica (FIG). A análise da cultura de treinamento do Ginásio consistiu num estudo de campo de caráter etnográfico, com uma duração de um ano e meio, realizado na sala de GAM do Centro de Alto Rendimento (CAR) de Sant Cugat del Vallès (Barcelona). Como resultado, esta tese expõe algumas das características mais relevantes de cada um dos seis aparelhos da GAM, concluindo que se trata de uma modalidade na qual prevalece o domínio do corpo nos diferentes espaços de prática; um esporte onde emergem ações motoras estereotipadas, preferentemente acrobáticas, expressadas através de exercícios compostos de acordo com os critérios que o sistema de pontuação estabelece, e que devem ser executados com um alto grau de precisão, seguindo os modelos técnicos que não só determinam o regulamento como também atendem às expectativas estéticas típicas da cultura ginástica. A respeito do Ginásio, descrevemos as características mais reveladoras da dinâmica de treinamento, concentrando a atenção no mundo social (participantes, hierarquia de mandos, estrutura social), nas condições espaço-temporais da preparação ginástica, nos materiais utilizados no treinamento, nas fases mais importantes da carreira esportiva do ginasta, além do simbolismo que envolve esta atividade e que define o Ginásio como uma microcultura ginástica. Em nível transversal, constatamos que a cultura de treinamento não somente é congruente com as exigências da lógica interna mas também reforça os valores que definem a prática deste esporte, potencializando a tradição de uma cultura ginástica secular que ostenta a hegemonia de um adestramento rígido, marcial, disciplinado, “fechado” e impositivo.
 
SCHIAVON, L. M. Ginastica artística feminina e historia oral : a formação desportiva de ginastas brasileiras participantes de jogos olimpicos (1980-2004)
 
Resumo
Os resultados das atletas brasileiras da Ginástica Artística feminina nos últimos 10 anos apresentaram uma expressiva evolução nas competições de nível internacional. Na busca de informações científicas dessa evolução, o presente estudo teve o propósito de conhecer o processo de formação desportiva das atletas brasileiras participantes de Jogos Olímpicos, na modalidade de Ginástica Artística Feminina, de 1980 a 2004. Para isso foi desenvolvida uma pesquisa qualitativa utilizando-se o método de História Oral, com os depoimentos das dez ginastas brasileiras classificadas para os Jogos Olímpicos neste período, para se obter o diagnóstico das suas histórias de vida desportiva. A análise abrangeu 14 temas e categorias - alguns inicialmente elencados para a pesquisa de campo e outros que emergiram dos depoimentos: iniciação desportiva na GA, participação em outras modalidades desportivas, seus ídolos, condições de infra-estrutura dos treinamentos, estrutura e organização dos treinamentos, aspectos nutricionais, aspectos psicológicos, incidência de lesões, a participação nas Olimpíadas, relação técnico-ginasta, apoio familiar, condições financeiras, influências determinantes e encerramento da carreira desportiva na GA. Como resultado, são oferecidas diretrizes para reflexões sobre a formação desportiva em GAF.
 
TOLEDO, E. A legitimação da ginástica de academia na modernidade: um estudo da década de 1980. PUC - SP, 2010.
 
Resumo

A partir de uma análise da realidade, em que a ginástica de academia parece ainda ocupar um lugar importante para a obtenção de um corpo ativo e socialmente bem sucedido, foi formulada a problemática desta pesquisa. Ela objetivou, portanto, compreender como foi possível para a ginástica de academia alcançar tamanha legitimidade na atualidade, especificamente no Brasil, não só para a obtenção de corpos construídos, segundo referências midiáticas, mas também como se ela fosse um dever natural, um passaporte para o alcance da saúde e de certos padrões de beleza. A década de 80 foi selecionada como recorte histórico da pesquisa, pois foi marcada pelo boom das academias de ginástica no país. Dois caminhos metodológicos foram selecionados para o alcance deste objetivo. Um deles foi a história oral, a partir da técnica do depoimento oral, com educadores físicos, e o outro foi a análise documental de exemplares da revista Veja, escolhida devido à sua amplitude de assuntos em diversas esferas da vida pública. Vários fatores foram levantados como propiciadores da legitimação da ginástica de academia neste período, dentre eles: um contexto de transição de modelos de governo (ditadura/democracia); a influência norte-americana; a aceleração da segmentação midiática com o aumento da visibilidade do corpo;  o avanço da tecnologia que, dentre outros aspectos, impulsionou as pesquisas médicas; a influência do Método Cooper e de todo um movimento que a partir dele foi criado e/ou fortalecido em prol do corpo saudável (do qual fez parte a ginástica aeróbica); a considerada segunda revolução feminina etc. Foi também possível concluir que muitos destes fatores se auto-influenciavam, legitimando-se mutuamente. Assim, a pesquisa justifica-se de maneira geral por colaborar com a necessária ampliação de estudos nesta área, assim como por possibilitar a identificação de rupturas e permanências desde esta década até a atualidade, na direção de novas perspectivas.

 

DISSERTAÇÕES DE MESTRADO

GRANER, L. O processo de ensino-aprendizado da ginástica na "minha escola".

 
Resumo
Este trabalho é uma narrativa a respeito do processo de ensino-aprendizado da ginástica desenvolvido com alunos do ensino fundamental I, em uma escola pública da rede municipal de Vinhedo/SP. As perguntas em torno do mesmo são relacionadas ao modo como processos de criação constituem esse processo de ensino-aprendizado da ginástica na escola. A partir de algumas reflexões de Salles (2008) e com base nas perspectivas crítico-superadora da educação física (COLETIVO DE AUTORES, 1992), histórico-cultural (VYGOSTSKY, 2008) e enunciativo-discursiva (BAKHTIN, 1990; 2010) é realizada uma análise dos documentos que fizeram parte do processo estudado a fim de compreendê-lo. O material analisado englobou fotos de família, comunicados escolares, registros escritos de séries de ginástica, jornais, convites, certificados de participação em eventos, folhetos de programa de apresentações de ginástica, trabalho de conclusão de curso, artigos, obras relacionadas à metodologia para o ensino-aprendizado da educação física na escola e para o ensino da ginástica na escola, programas de planos de aula, registros de acontecimentos em aulas, avaliações dos alunos, fotos dos alunos. Ao longo dos estudos, foi possível encontrar e revelar alguns processos de criação relacionados à ginástica constituindo o processo de ensino-aprendizado da ginástica desenvolvido em seis anos de atuação da professora-autora na escola estudada. Um dos processos encontrados teve como “objeto” criado a ideia de corpo que pratica ginástica, ginástica e escola pública. As principais interações transformadoras desses conceitos ocorreram na escola pública quando a professora ainda era aluna. Outro processo encontrado teve como “objeto” criado as propostas metodológicas para o ensino-aprendizado da educação física e da ginástica na escola, tendo seu tempo, espaço e principais interações transformadoras constituídas na universidade quando a professora era aluna de graduação. O processo de criação das práticas pedagógicas relacionadas à ginástica na escola, mais um “objeto” encontrado, aconteceu na escola estudada, nas interações com os alunos. Um último processo
localizado, aquele que os alunos criam a ginástica também aconteceu nesse tempo e espaço, constituído por essas interações. Compreendidos como criações em rede, notou-se que o inacabamento desses processos de criação foram, e são, impulsionadores na constituição do processo de ensino-aprendizado da ginástica na escola estudada

Palavras-chave: educação física escolar, ginástica, ensino-aprendizado, criação, gesto.

SOUZA, E.P.M. A Busca do auto-conhecimento através da consciência corporal: uma nova tendência, 1992, 88 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física)- Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física, 1992.

Resumo
Este trabalho procura aprofundar o conhecimento sobre as Novas Propostas de Abordagem do Corpo, que surgiram no Brasil a partir da década de 70, trazendo mudanças com relação aos princípios que orientam a Ginástica e a atividade física em geral. Partindo de uma análise sobre as principais propostas como a Antiginástica, a Bioenergética, a Eutonia, além de outras, foram abordados pontos em comum que fundamentam essas práticas e que caracterizam esta nova tendência. Os conceitos sobre Motricidade Humana, Corporeidade e Consciência Corporal, são discutidos no quadro teórico que embasa o trabalho. Como complementação desta pesquisa qualitativa, optou-se pela metodologia do Estudo de Caso, aplicada a um curso de Conscientização Corporal, na cidade de Campinas/SP e que representa esta nova tendência de abordagem do corpo. O auto-conhecimento através da consciência corporal, foi a principal categoria expressa nos depoimentos dos alunos, ao responderem a pergunta: Qual o sentido desta atividade para você? Este aspecto levantado dentre outros como a importância de despertara sensação e de resgatar o prazer do movimento e promover a auto-valorização do indivíduo através da consciência corporal, são dados significativos que devem ser refletidos por aqueles que trabalham com a Educação Física.

BERTOLINI, C. M. Ginástica Geral: uma proposta pedagógica desenvolvida na rede estadual de ensino. 2005. 142 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Educação Física, Campinas, 2005.

Resumo
Esta pesquisa teve como objeto de estudo a ginástica geral, uma atividade corporal, que pode ser desenvolvida em qualquer situação de ensino formal ou não formalizado. Tomando como base a experiência em uma escola da rede particular de ensino da cidade de Campinas – SP foi desenvolvido uma metodologia própria para a ginástica geral na comunidade escolar. Este estudo teve como objetivo principal verificar se, através de um conjunto de ações interligadas, a viabilidade do desenvolvimento desta metodologia seria possível também na rede pública de ensino. Com o respaldo em uma resolução estadual e a colaboração da Diretoria Regional Leste de Ensino de Campinas que mobilizou seus professores desenvolvemos este projeto ao longo do ano de 2002. Este processo compreendeu uma palestra de apresentação da proposta, um curso de capacitação, visitas de acompanhamento às escolas participantes, um festival de apresentação das coreografias criadas e depoimentos.de professores. Podemos confirmar a partir dos dados coletados que, a ginástica geral é uma atividade que não só pode, como deve, ser desenvolvida também na rede pública de ensino.

 

CHAPARIM, F. C. A. S. Desvelando os significados da vivência da ginástica geral para adolescentes de uma instituição salesiana de proteção à criança e aos adolescentes. 139 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física)- Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física, Campinas, 2003.

Resumo
Este estudo versa sobre a Ginástica Geral, atividade gímnica não competitiva, que visa propiciar o bem estar físico, mental, social e o aumento da interação de seus praticantes. Teve como principal objetivo oferecer um programa de vivência de Ginástica Geral, na proposta do Grupo Ginástico Unicamp, às adolescentes do Externato São João, instituição salesiana de proteção à criança e ao adolescente. Por meio de pesquisa qualitativa buscou identificar e analisar os significados desta vivência para as adolescentes participantes. Para melhor compreender a Ginástica Geral é apresentada a sua abordagem pela Federação Internacional de Ginástica (FIG), sua trajetória no Brasil e no mundo chegando ao Grupo Ginástico Unicamp. Aprofunda-se na concepção e proposta de Ginástica Geral deste Grupo, que se norteia pelos nos princípios de formação humana e capacitação fundamentados na Biologia do Amor. Trata da Biologia do Amor enfocando seu aspecto educativo. Faz uma análise do Sistema Preventivo de Dom Bosco apresentando o Externato São João e seus adolescentes que participaram da pesquisa. Analisa as convergências entre o sistema preventivo de Dom Bosco e a Biologia do Amor, em três aspectos: diretrizes conceituais, objetivos educacionais e competências necessárias dos educadores. Para a coleta de dados utilizaram-se de relatórios das aulas, observações assistemáticas das mesmas, filmagens, fotografias, diário de campos e entrevistas não padronizadas da modalidade focalizada (LAKATOS; MARCONI, 1991) com as adolescentes participantes. Para a análise das entrevistas optou-se pela técnica de Análise de Conteúdo de Bardin (1977). Como resultados foram identificados quinze categorias de significados relacionadas à formação humana, capacitação e as características da Ginástica Geral. Estes significados expressam as possíveis contribuições dessa prática para as adolescentes e reforçam a viabilidade de desenvolvê-la em instituições sócio-educativas.

SARÔA, G. A História da Ginástica Rítmica em Campinas. 140 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física, Campinas, 2005.

Resumo
O objetivo deste estudo foi reconstruir a história da ginástica rítmica em Campinas – São Paulo - Brasil, pois este tema nunca foi explorado em pesquisas acadêmicas e esta é sem dúvida uma grande história, a história de vida de pessoas que passaram por esse esporte e deixaram marcas de conquistas, vitórias e paixões. Registrar esta pesquisa na área acadêmica é algo importante para podermos dar continuidade na história da ginástica em nossa cidade e com isso entendermos o crescimento relevante dessa modalidade em Campinas, que transformou a vida de muitas pessoas ao longo dessas três décadas e nesse decorrer, foi tomando diversos rumos, ganhando espaço e conquistando cada vez mais adeptos. Para essa composição histórica, foi utilizada a metodologia da História Oral, que possibilitou a reconstrução com os personagens que fizeram e fazem parte dela, além da utilização de imagens e reportagens pesquisadas nos jornais da cidade e dos acervos pessoais cedidos pelas entrevistadas. Este trabalho teve como resultado o registro da história desta modalidade esportiva, que nessas três ultimas décadas tem encantado o cenário esportivo campineiro.

SCHIAVON, L. M.. O projeto Crescendo com a Ginástica: uma possibilidade na escola. 159 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física, Campinas, 2003.

Resumo
Este estudo tem como prioridade apontar alternativas para as dificuldades do desenvolvimento das modalidades de Ginástica Artística (G.A.) e Ginástica Rítmica (G.R.) nas aulas de Educação Física, auxiliando diretamente os profissionais atuantes nas escolas. Para conhecer as reais dificuldades encontradas pelos professores na aplicação dessas modalidades, foi realizada uma pesquisa de campo nas aulas de Educação Física, iniciada com um curso para os professores da rede de ensino de Campinas e região. Este curso visou oferecer subsídios e despertar o interesse em desenvolver a GA e a GR na escola. Todas as técnicas desenvolvidas nessa pesquisa de campo (questionários, avaliações, assessoria pedagógica, observações e entrevistas) somadas às múltiplas formas de contato mantidas com os professores serviram para conhecer os obstáculos que podem impedir a aplicação dessas modalidades na escola. A partir de uma análise qualitativa dos problemas levantados na pesquisa, buscou-se atingir a sua essência, seguindo uma trajetória de três momentos: - a descrição de todos os dados, - a redução dos mesmos encontrada nas possíveis convergências, e - a interpretação de três grandes categorias `a luz da teoria que sustenta esse trabalho: infra-estrutura, espaço e materiais; método e estratégias de ensino; e os conteúdos de Ginástica Artística e de Ginástica Rítmica voltados ao âmbito escolar. Ao compreender tais dificuldades como realidades, foi possível discutir cada uma delas e oferecer alternativas viáveis para as aulas de GA e GR no ambiente escolar. Além de buscar respostas em livros, as soluções vieram também das próprias aulas de GA e GR, nas experiências vividas no projeto “Crescendo com a Ginástica”, um projeto de extensão, pesquisa e ensino, desenvolvido durante dez anos na Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas, com as devidas adaptações para o contexto escolar.

 
TOLEDO, E. Proposta de Conteúdos para a Ginástica Escolar: Um paralelo com a Teoria de Coll. 202 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física)-Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física, Campinas, 1999.

Resumo
A finalidade deste trabalho é tentar oferecer subsídios para o ensino da Ginástica na escola, através do estudo de novas tendências na área educacional, como é o caso dos “Conteúdos na Reforma”, de César Coll et alli (1998). O foco principal do trabalho é traçar um paralelo com os conteúdos factuais, conceituais, procedimentais e atitudinais, propostos por este autor, na área da Ginástica escolar. Redimensionando e re-estruturando os conteúdos da Ginástica escolar, pretendemos poder facilitar sua compreensão e sua prática. As questões relacionadas aos objetivos e à metodologia estão, sempre, interligados aos conteúdos, portanto estas também serão brevemente levantadas. Para alcançar este objetivo, iniciamos o texto com o levantamento dos objetivos, conteúdos e métodos que envolvem o ambiente escolar e o ensino. Em seguida, fazemos um breve levantamento acerca das propostas acadêmicas emergentes, por diversos autores, desde a década de 80, e os seus reflexos na formação dos futuros profissionais e no dia-a-dia escolar. Conscientes de que estas propostas parecem não ter chego, ainda, ao universo escolar, nos remetemos ao que já foi produzido na área da Educação Física Escolar e suas respectivas críticas e reflexões. Considerada como parte ou conteúdo das aulas de Educação Física Escolar, pela maioria dos autores abordados, abrimos caminho para levantar um breve histórico acerca da Ginástica, sua introdução no universo escolar brasileiro, como ela se configura fora da escola e suas tendências para a aplicação escolar. A partir de todos estes levantamentos é possível o estabelecimento de algumas propostas de conteúdo na área da Ginástica escolar, baseadas nos estudos de Coll. Este trabalho foi movido pela paixão ... Paixão por tudo que a Ginástica me proporcionou, na escola e no clube, e ainda me proporciona, no Grupo Ginástico Unicamp e nos estudos acadêmicos. Paixão pela minha profissão, por ser uma educadora. É esta constante fluidez da Ginástica pelas minhas lembranças, pelas leituras, na prática pedagógica, que tornou este texto tão especial. O objetivo deste trabalho é, portanto, tentar contribuir para que a prática da Ginástica ocorra na escola... É tentar que os alunos possam dela se apropriar para sua vida... É tentar contribuir na formação de indivíduos mais críticos e criativos... É tentar formar verdadeiros cidadãos sensíveis e felizes!

 
FIORIN, Cristiane Montozo . Ginastica em Campinas: suas formas de expressão da década de 20 a década de 70. Dissertação (Mestrado em Educação Física)-Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física, Campinas, 2002.

Resumo
A História da Ginástica no Estado de São Paulo, e particularmente na cidade de Campinas, ainda é um tema pouco explorado em pesquisas acadêmicas, uma vez que esta temática começou a ser estudada com maior ênfase na década de noventa do século XX passando a Ginástica a ser, um dos focos de estudo nas universidades, encarada como um conteúdo relevante nas aulas de Educação Física, como uma área de pesquisa e praticado por um grande número de pessoas nas suas diversas manifestações: Ginástica Artística, Rítmica, Aeróbica, Geral, de Condicionamento (praticada nas academias de Ginástica) entre tantas outras. No entanto, apesar de diferentes adjetivações, todas estas manifestações possuem uma espinha dorsal comum que é a Ginástica. O objetivo deste trabalho é fazer uma reconstrução histórica de como a Ginástica, um conhecimento desenvolvido e sistematizado na Europa, entra no Brasil, mais precisamente no município de Campinas, no início do século XX e como ao longo destes cinqüenta anos, compreendidos da década de 20 até a década de 70, ela foi sendo modificada, ganhando novas roupagens de acordo com a história do ser humano, do pensamento e da própria Educação Física. Escolhemos este período como foco do estudo, por ser uma época que mostra as diferentes manifestações da Ginástica tanto na escola, como seu desenvolvimento nos clubes, nas academias e nas universidades. É um período que mostra mudanças de paradigmas em diversas áreas e, conseqüentemente seus reflexos em uma prática humana. Existe a necessidade de reconstruirmos o nosso passado para compreendermos o atual momento da Ginástica para que ela possa desenvolver-se, possibilitando aos profissionais da área, um embasamento teórico consistente para justificar tal prática e para planejá-la no futuro. Para compor a pesquisa foram usados arquivos imagéticos, documentais e bibliográficos que permitiram melhor utilizar a História Oral como metodologia para a obtenção de novos dados. Como a metodologia utilizada exige que se façam entrevistas com atores sociais que estiveram envolvidos de alguma maneira com o fato estudado, foram entrevistados ao longo da pesquisa profissionais da área que tiveram atuação relevante na consolidação da Ginástica em Campinas e que contribuíram para difundir a prática desta atividade nas suas diversas possibilidades, tais como o Professor Pedro Stucchi Sobrinho, Professora Otília Foster, Profa. Dra. Vilma Leni Nista Piccolo, Profa. Odenise Emanuelli e Prof. Carlos Roberto Luz.

 
BORTOLETO, M. A. C. O caráter objetivo e o subjetivo da ginástica artística. FEF - UNICAMP, 2000.
 
Resumo
Neste trabalho estudamos a modalidade Ginástica Artística (GA), no contexto delimitado ao esporte de Alto Nível, realizando a apresentação e discussão do que seja o caráter Objetivo e o Subjetivo desta prática. Com relação a estes aspectos, buscamos além da compreensão dos mesmos, entender sua relação e a importância de cada um deles perante a prática da GA, dissertando sobre as características objetivas e subjetivas desta modalidade. Para aproximarmos este estudo teórico da realidade prática da modalidade, e para obtermos respaldo e comprovação para nossas colocações, realizamos uma pesquisa de campo com sete sujeitos de representatividade nacional, sendo que dois foram abordados somente na condição de árbitro, dois na condição de técnico e três em ambas as perspectivas. Para esta pesquisa, utilizamos uma metodologia qualitativa, com uma análise de cunho etnográfico-interpretativo, segundo a proposta metodológica sugerida por Clifford Geertz, onde os dados foram obtidos por meio de duas entrevistas semi-estruturadas para cada sujeito da pesquisa, com duração de aproximadamente duas horas para cada entrevista. Come considerações finais, podemos destacar que ambos os aspectos fazem parte da realidade da GA e merecem serem vistos com atenção, contudo, o caráter Objetivo (Técnico) está muito mais presente tanto na literatura quanto no discurso dos entrevistados. Neste sentido, entendemos que a GA necessita rever alguns de seus conceitos sobre estes aspectos, sobretudo, voltar seu olhar para o caráter Subjetivo (Expressivo). Este fato, pode contribuir para a evolução desta modalidade como esporte de característica artística.
 
DESIDEIO, A. Qualidade de vida e ginástica geral : possiveis aproximações. FEF - UNICAMP - 2009.
 
Resumo
O presente trabalho versa sobre a qualidade de vida, suas definições, visões, certezas e incertezas, sua história construída a partir da saúde e muito além dela, seus mecanismos de validação e possíveis encontros com a área da educação física. Com o intuito desta aproximação escolhemos a ginástica geral como prática corporal que na atualidade pode, ou não, ser promotora de qualidade de vida. A tal ginástica geral apresenta-se como prática corporal específica e focalizada no indivíduo pertencente a um grupo e também como espetáculo, como arte, arte corporal. Também buscamos informações históricas para entendermos a ginástica geral que temos hoje, vimos o que se é realizado sob esta nomenclatura e projetamos algumas aproximações entre estes dois universos, a qualidade de vida e a ginástica geral. A pesquisa partiu sempre do enfoque social, tendo na história uma grande base. Para tanto esta se caracteriza por uma pesquisa qualitativa que utilizou os seguintes métodos para sua realização: revisão bibliográfica, a fim de conhecer e problematizar as relações entre os objetos; análise dos depoimentos de 13 ginastas de ginástica geral presentes na pesquisa de Souza (1997), com base na análise de discurso de Bardin (1977) e, pesquisa de campo com visitas a diferentes grupos de ginástica geral. O documento de avaliação de qualidade de vida produzido pela Organização Mundial de Saúde serviu de base para a criação de itens de análise dos depoimentos pesquisados, assim como, para as visitas de observação aos grupos. Definições de qualidade de vida, atuais e fundamentadas no social, e de ginástica geral com esta mesma perspectiva deram o diferencial do olhar para tal problemática. Esta pesquisa justifica-se por apresentar uma forma de ginástica, contemporânea e de vanguarda, que corrobora com definições de qualidade de vida ampliadas, podendo ser uma prática corporal muito mais significativa.
 

LIMA, Helaine Cristina Ferreira. CONSTRUÇÃO DA DOCÊNCIA: Trajetórias de Professores de Ginástica no Ensino Superior. 2010. 134f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Centro de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, Programa de Pós-Graduação em Educação, Campinas, 2010.

 

Resumo

Esta pesquisa tratou da trajetória de formação de docentes que ministram disciplinas de ginástica na Educação Física no Ensino Superior. O problema que norteou o estudo foi: a formação acadêmica e profissional de docentes e as experiências vividas na área da ginástica podem contribuir para o exercício da docência nesta disciplina no Ensino Superior? De que maneira? Sendo assim, o objetivo geral foi conhecer e refletir sobre trajetórias de construção de docência, em especial, a docência em Ginástica no Ensino Superior e os objetivos específicos se configuraram da seguinte maneira: discutir e refletir sobre a relação entre experiências e a prática da ginástica com o exercício da docência nesta área; a formação acadêmica em Educação Física e a formação profissional em ginástica; as possíveis contribuições das experiências formativas na atuação docente em ginástica no Ensino Superior. O estudo, de natureza qualitativa, foi realizado por meio de pesquisa empírica cujos instrumentos de coleta de dados foram: questionário com perguntas fechadas, abertas e dependentes e também entrevista semiestruturada. A pesquisa foi efetuada com oito docentes, que ministram disciplinas de ginástica, atuantes em oito Instituições de Ensino Superior da Região Metropolitana de Campinas/SP. Os dados foram analisados à luz do referencial teórico sobre a Formação Docente e a Ginástica no Ensino Superior. Com relação às experiências dos professores, vivenciadas em ginástica antes, durante e após o início da docência no Ensino Superior, os resultados apontaram que a maioria destes possui grande envolvimento com a área, como ex-praticantes, dirigindo grupos e equipes gímnicas e também participando de eventos acadêmicos e científicos. Identificamos também, por meio dos dados obtidos, que as experiências vividas fora da formação acadêmica são importantes fontes de contribuição para o exercício da docência, que permitem aos professores um maior conhecimento da realidade profissional. Portanto, consideramos que a construção dos saberes docentes não se inicia nem finda com a entrada na profissão docente e que as trajetórias de vida e as experiências constituem um saber dinâmico, o qual pode e deve estar em constante transformação e diálogo com a realidade momentânea. Entendemos que estudos como este, sobre a formação docente, podem subsidiar discussões em torno de uma prática educativa, que aspire às transformações por meio da formação de indivíduos mais reflexivos e comprometidos com a educação de qualidade.

 

RODRIGUES, Rafaela Guerra Segalla Alves . PEDAGOGIA DA RODA GINÁSTICA (ALEMÃ): análise da proposta metodológica desenvolvida no clube Bayer Leverkusen na Alemanha.

Resumo
Desenvolvida no final da década de 1920 na Alemanha, a Roda Ginástica consiste numa modalidade gímnica que possibilita uma série de evoluções corporais com uso de uma roda metálica. Tanto na vertente esportiva (de competição) como na artística, trata-se de uma atividade bastante difundida na Europa, porém ainda pouco difundida e estudada no Brasil. Desde 1998, observamos um aumento expressivo desta prática no cenário nacional, especialmente na Faculdade de Educação Física da UNICAMP, situando esta instituição como referência no desenvolvimento desta especialidade. Entretanto, o estudo pormenorizado do processo de ensino-aprendizagem encontra-se num estágio incipiente e com escassa fundamentação da perspectiva acadêmico-científica, tornando a prática pedagógica fragilizada no que diz respeito a sua sistematização e rigor científico. A partir deste panorama, o presente estudo teve como objetivo descrever e analisar a proposta metodológica de ensino-aprendizagem da Roda Ginástica, desenvolvida por uma especialista de renome internacional do clube alemão Bayer Leverkusen, um dos mais importantes no contexto internacional. Metodologicamente, tratou-se de um estudo de natureza qualitativa, no qual empregamos a técnica de entrevista semiestruturada (em profundidade) com a referida especialista, buscando extrair os princípios fundamentais de seu trabalho a partir de sua destacada experiência e competência no assunto. Paralelamente, a coleta de dados incluiu a observação direta intensiva das atividades realizadas no clube durante 15 dias do mês de janeiro de 2011. A partir dos dados obtidos, foi realizada uma análise crítica à luz dos pressupostos teóricos próprios da Educação Física brasileira, mais precisamente do campo da pedagogia do esporte. Como principais resultados deste trabalho podemos destacar que a Roda Ginástica encontra-se ainda em estado de esporte amador, na Alemanha, e seu desenvolvimento no clube Bayer Leverkusen se deve a atividade voluntária e colaborativa dos participantes. Devido as diferenças culturais entre Brasil e Alemanha faz-se necessário pensar em diferentes formas de transmissão do conhecimento adequando-o a nossa realidade.

PASCUA, Lívia de Paula Machado. O floreio na Capoeira. FEF-UNICAMP, 2011

Resumo
Neste trabalho procuramos compreender o objeto de estudo do floreio, conhecido como o conjunto de movimentos belos e de execução trabalhosa, em meio às transformações ocorridas na Capoeira. Para além de um conjunto de gestos, podemos entender o floreio como uma ação, a exemplo da música e do canto na situação da roda de Capoeira, ou seja, seu objetivo depende da intenção do capoeirista, aquele que realiza os floreios. Para buscar o melhor entendimento deste objeto de estudo, realizamos uma pesquisa de campo em que ntrevistamos mestres e alunos formados em Capoeira acerca de seu entendimento sobre o assunto, no intuito de empreendermos o floreio a partir da experiência do sujeito que floreia. Esta obra tem aspecto descritivo e exploratório e foi constituída sob a égide da pesquisa qualitativa. Analisamos os dados coletados por meio de análise de conteúdo, conforme estabelece Bardin (2008). Por meio dos discursos dos sujeitos pudemos depreender sentidos e significados do floreio que geraram três categorias de análise, a saber: O floreio como elemento identitário da Capoeira, suas formas e características; As artimanhas do floreio; e O alegórico e o espetacular do floreio. Neste trabalho, interpretamos o floreio na Capoeira com base na teoria dos jogos de Caillois (1990), o que significou admitirmos uma dimensão mais ampla do floreio, buscando a sua essência em vez de apenas classificá-los funcionalmente. Dessa forma, compreendemos as dimensões do floreio na Capoeira e, além disso, acreditamos que esta análise aponte para uma maior aceitação da faceta artística da Capoeira. O floreio é apenas um dos elementos estilísticos da Capoeira, talvez toda a sua linguagem possa ser analisada esteticamente.

 

Kizzy ANTUALPA. Centros de treinamento de ginástica rítmica no Brasil : estrutura e programas

Resumo
Com o objetivo de conhecer e descrever o contexto dos centros de treinamento (CT) em ginástica rítmica (GR), o presente estudo buscou analisar suas estruturas e programas. Os primeiros tópicos trataram da revisão de temas importantes da área das Ciências do Esporte, buscando embasar o conhecimento sobre as formas de organização e composição dos treinos, e aliá-los aos conceitos trazidos pela modalidade ginástica rítmica. Discorreu-se sobre o fenômeno social esporte, delineando suas concepções. Seguindo-se o marco teórico, tratou-se da pedagogia do esporte relacionada à iniciação e ao treinamento esportivo. O terceiro tópico tratou da GR propriamente dita, apresentando suas características, assim como o panorama histórico e organizacional. O quarto tópico discutiu os centros de treinamento, contextualizando o tema objeto do presente estudo, e configurando seu cenário no país. Utilizou-se a pesquisa quantitativa e a qualitativa, a fim de suprir as necessidades do estudo, essas foram realizadas através da observação não participante e aplicação de questionários aos sujeitos atuantes nos centros. Por fim, tratou-se, no texto, da coleta e discussão dos dados, sobre a estrutura física e organizacional dos centros de treinamento, bem como sobre o conteúdo de treino neles observado. Neste tópico, também foram analisados dados obtidos através de questionários respondidos pelos sujeitos atuantes nos centros. Acredita-se que as respostas obtidas pela pesquisa de campo e questionários auxiliam na visualização do processo de iniciação, especialização e treinamento defendido pelos centros de treinamento, pois é a partir desta iniciativa que a modalidade se estabeleceu para atletas, família, e outros personagens, impulsionando consequentemente a prática da GR.

 

OLIVEIRA, Mauricio Dos Santos De. O PANORAMA DA GINÁSTICA ARTÍSTICA MASCULINA BRASILEIRA – UM ESTUDO HISTÓRICO-CRÍTICO DO PERÍODO 2005-2008.

Resumo
Observamos, nos últimos anos, uma expressiva melhora nos resultados internacionais da Ginástica Artística (GA) brasileira, especialmente na categoria feminina. Apesar deste perceptível avanço nas competições internacionais é difícil mensurar, objetivamente, o nível de desenvolvimento desta modalidade competitiva no plano esportivo nacional. São poucos os dados disponíveis e do ponto de vista científico, são escassas as pesquisas que permitam uma análise criteriosa e precisa acerca da realidade desta modalidade no país. Deste modo, o objetivo central desse estudo é desvendar o panorama da Ginástica Artística Masculina (GAM) brasileira, analisando o último ciclo olímpico, buscando entender esse fenômeno através de uma contextualização sócio-econômica e política desse esporte. Para tal, serão analisadas as federações estaduais filiadas a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG); a quantidade e a qualidade dos ginastas federados; número de participantes em competições de nível nacional e internacional; a quantidade de árbitros no país; o número de clubes federados e a sua distribuição no território nacional; e a realidade financeira da modalidade. Metodologicamente realizamos uma revisão bibliográfica e documental seguida por um estudo de campo composto de um questionário, enviado às federações estaduais, e entrevistas realizadas com profissionais de destaque na modalidade (ginastas, técnicos, árbitros e dirigentes). Concluímos que embora tenham ocorridos significativos avanços no quadro financeiro, de organização e infra-estrutura disponíveis para a modalidade, ainda persistem problemas característicos do esporte amador brasileiro caracterizado pela realização de projetos de trabalho sem seqüência e continuidade, marcado pela improvisação e pela falta de recursos financeiros na formação e preparação dos atletas. Entendemos que este estudo possibilitará conhecer com maior riqueza de detalhes a realidade da GAM brasileira, entre os anos de 2005-2008, possibilitando antecipar as tendências do futuro e podendo auxiliar na tomada de decisões para o desenvolvimento deste esporte no Brasil.

 

TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

 

ALMEIDA, T. L.; BORTOLETO, M. A . C. AIRTRACK - Jogos e brincadeiras para o desenvolvimento acrobático. FEF-UNICAMP, 2012.

Resumo
A segunda metade do século XX e este princípio do século XXI vêm imprimindo um importante papel à tecnologia nos mais diferentes setores da sociedade. No campo das ginásticas e atividades acrobáticas, este fenômeno também pode ser percebido, especialmente no que tange a novos equipamentos. No ano de 2010, a partir de uma experiência de trabalho voluntário em parceria com o DGI (Associação de Esportes e de Ginástica Dinamarquesa), demos inicio a sistematização de um material pedagógico sobre as possíveis contribuições para o desenvolvimento acrobático de uma pista inflável denominada Airtrack, equipamento ainda pouco presente na realidade brasileira, porém, consolidado em diversos países. Seja pela possibilidade de armazenamento num espaço pequeno ou pela facilidade em montar, desmontar e transportar, este equipamento tem atraído a atenção dos pedagogos da ginástica e do circo, que ganham com isso uma nova tecnologia para a prática acrobática com um toque lúdico e grande diversidade e riqueza de possibilidades. Certamente estamos diante de um equipamento que une os benefícios das superfícies elásticas ao ensino da ginástica em todos os níveis de execução, visando tanto o lazer quanto o rendimento desportivo. Deste modo, o objetivo deste trabalho consiste na elaboração de um “Caderno Pedagógico” sobre as diferentes formas de utilização do Airtrack, desde jogos recreativos até exercícios técnicos, todas elas visando o processo de ensino-aprendizagem dos elementos básicos da acrobacia de solo. Do ponto de vista metodológico, nossa experiência nestes últimos dois anos mostrou a existência de escassos referenciais, inclusive nos países onde este equipamento tem maior tradição, o que nos levou a propor nesta ocasião a realização de questionários semiestruturados “on-line” com 6 especialistas de diferentes países. A partir das propostas dos especialistas e das atividades que já fazem parte de nossas experiências pedagógicas, organizando um conjunto de atividades, realizando uma descrição pormenorizada das mesmas e registrando a aplicação dessas atividades com um grupo de 12 estudantes universitários da FEF-UNICAMP, que em trabalhos futuros terão suas fotos e vídeos utilizados no desenvolvimento de um DVD didático, buscando preparar de forma a facilitar a atuação de profissionais que desejam trabalhar com este equipamento, e, por conseguinte, que pretendem a popularização desta nova tecnologia no cenário nacional.
PDF

 

Consulte todos os TCC realizados na FEF-UNICAMP sobre ginástica:  MILANI, C. ; SOARES, D. B. ; BORTOLETO, M. A. C. . GINÁSTICA: A PRODUÇÃO DOS ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA UNICAMP 1985-2014. Coleção Pesquisa em Educação Física, v. 14, p. 89-98, 2015.