Inscrições de números para os Cabarés do IV Seminário Internacional de Circo

Programação | Apresentação de Trabalhos | Inscrição | Cursos | Cabarés | Lançamento de Livros | Hospedagem | Organização

Programação  

 

Sexta-Feira

  • Cabaré CIRCUS-UNICAMP
  • Local: Centro Cultural Casarão (visite site)
  • Produção: Felipe Braccialli; Lua Barreto e Rodrigo Mallet /  CIRCUS Unicamp
  • Entrada Franca - Contribuição voluntária (Chapéu)
Mestre de Cerimônia: Dj Digão
DJ, pesquisador musical e produtor cultural, discoteca há 19 anos com discos de vinil na cidade de Campinas/SP e região, especializado em música brasileira e negra. Mantém projetos musicais como: "Barato Total", "Samba e amor até mais tarde", "Música Preta Sem Frescura", produz a "Mostra Jazz Campinas", a "Esquina do Jazz" na Battataria Suíça e o "Jazz in Terça" no Echos Studio Bar - www.facebook.com/djdigaobr
Gustavo Akira Aihara: Caminhos
Os homens devem moldar seu caminho. A partir do momento em que você vir o caminho em tudo o que fizer, você se tornará o caminho”; inspirado livremente na frase de Miyamoto Musashi, o número representa como o caminho permeia nossas vidas e flutuam por entre os dedos. Quem está no controle? O homem, ou os caminhos?
Leandro Xavier:  Marte
Através de várias pesquisas de movimentos na lira e interação aluno/professor, nasceu número “Marte”, descobrindo o corpo sob a gravidade.
Leonora Cardani: A Cobra
A cobra troca de pele ao longo de sua jornada no planeta. O ser humano também troca, mas a pele da cobra permanece de forma inteira, até que se incorpora na mata. A pele do ser humano se esconde na sua casa, no seu trabalho, no seu lazer. A pele pode ser a experiência e memória desse ser humano. E é o que permanece no mundo, na memória dos outros seres que cruzam as vidas...
Coletivo Lateral: Probabilidade
Composto por Débora Ishikawa, Alessandro Coelho, Daniel Maciel e Bruna Genovez. Este número coletivo é o resultado de uma pesquisa realizada a partir de uma barra, onde é possível equilibrar-se sobre ela, pendurar-se ou utilizar como um mastro.
Helder Vilela: Aerial Straps
Este ato (Aerial Straps) realizado por Helder Vilela, demonstra uma performance de extrema força e flexibilidade, onde o mesmo usa seu corpo para fazer movimentos estáticos e dinâmicos com fluidez e serenidade, de modo a passar muita confiança e controle para quem o vê.
Pamela Souza e Fabio Ayres - Cia do Circo Campinas : Contorção
Boneca Contorcionista número tradicional Circense com Pamela Souza e Fabio Ayres Aluna e Professor estrelam um número ímpar no mundo circense quase já estão extinto nos picadeiros de Circo, no qual Alex Brede Resgata sob sua direção número ensaiado e concebido na Cia do Circo
Cia Suno: De Partida
Neste número, o público poderá se divertir com as peripécias de Sanduba e Fiorella em uma cruzada pelo mundo, como artistas mambembes que passam pela cidade. Carregando suas malas e os poucos objetos que acumularam em suas vidas, eles buscam novos desafios por onde passam. “De Partida” traz à cena técnicas de multi membros e números de rola-rola, acrobacias e muita palhaçada.
CircoCan: Duo de Mão a Mão
Nickolle e Pedro são artistas do Circocan e trabalham juntos desde 2014. Encontraram no circo, mais especificamente no Mão a Mão, uma forma de associarem suas experiências como ginasta rítmica e bailarina contemporânea, e o treinamento como portor em acrobacias coletivas na China e Estados Unidos.

Sábado

  • Cabaré CIA SUNO
  • Local: Centro Cultural Casarão (visite site)
  • Entrada Franca - Contribuição voluntária (Chapéu)
  • Produção Cia Suno: Composta por uma atriz dramática e circense, formada pelo CPT e pela École National du Cirque Annie Fratellini (Helena Figueira) e um artista acrobata com domínio das técnicas de malabares (Duba Becker), a Cia Suno foi fundada em 1998 por um grupo de amigos que sonhavam criar um núcleo de pesquisa cênica na cidade de Santos. Hoje a Cia Suno tem dezesseis espetáculos em seu repertório. Há desde o lúdico "A Bailarina e o Palhaço", que conta uma linda história de amor entre esses tradicionais personagens do universo infantil; como o dinâmico "Estripulias no Circo", que apresenta a história da criação do circo em ordem cronológica, passando pelo circo de cavalaria inglês, circo chinês, russo, até a linhagem mais moderna e inusitada. 
Apresentação: Lu Lopes / Palhaça Rubra
Lu Lopes (Palhaça Rubra) é formada como atriz pelo Teatro Escola Célia Helena no ano de 1994. Trabalhou como arte-educadora na Casa do Teatro, (1994/2004) desenvolvendo uma linguagem musical para o teatro e no Teatro Escola Célia Helena como assistente de direção, professora de voz, e de corpo (capoeira). Palhaça há 26 anos, iniciou sua trajetória na palhaçaria em 1992 com a mestra em palhaçaria, Cristiane Paoli-Quito. Participou do espetáculo JOGANDO NO QUINTAL e do projeto DOUTORES DA ALEGRIA. Circula periodicamente pelo Brasil com espetáculos da Palhaça Rubra voltados para a família. Na área da pedagogia criativa, vem construindo uma trajetória autodidata. Com o conceito de ALTA TECNOLOGIA HUMANA desenvolve a trinca: música, palhaçaria e improviso. Organiza periodicamente oficinas e residências voltadas a jovens artistas e artistas profissionais, dentro e fora do Brasil. Principais projetos: CircusNext (www.circusnext.eu), foi tutora dramatúrgica no projeto junto com Fatou Traoré (2012). Festival Mundial de Circo em Belo Horizonte (2014). Festival Paulista de Circo/ Variedades Femininas. Foi indicada duas vezes ao Prêmio Governador do Estado em São Paulo na categoria de circo (2011 e 2013) e homenageada pelo reconhecimento e valor artístico no Centro de Memória do Circo, sob a gestão de Verônica Tamaoki. Como escritora foi vencedora do Prêmio Jabuti de literatura infanto juvenil, na categoria paradidático ( 2015) com o Almanaque da Banda Gigante (Editora SESI/ 2014). No campo do audio visual, criou o programa (Palhaça Rubra) RUBRA E AS CRIATURAS na Tv Rá Tim Bum (2015). Em seguida começou a desenvolver outros projetos no canal, criando parceria criativa e de desenvolvimento como roteirista e composição de trilha sonora. Na TV Cultura fez a trilha Sonora da última temporada Vila Sesamo (2017) em parceria com Fê Stok e Wem Mazon, como letrista, compositora e arranjadora. Atua como diretora de espetáculos circenses desde 2008. Os mais recentes são: Vizinhos e Balbúrdia (Cia. Artinerant’s/ 2015 e 2017), Das Alturas de Mim Mesmo (Mauro Braga/ 2018), Altissonante (Lu Menin/ 2018)
Kelly Cheretti: Gira a Gira
A lira gira e, em seu giro, traz novos caminhos conectando terra e céu em uma espiral de "peace and love and good happiness stuff".
Escola Nacional de Circo (RJ): Somos Eu
Um número sobre relações humanas. Em cena, personagens utilizam seus corpos como elementos de expressão, suas mentes como ferramentas condutoras e as suas emoções como fusão de todos esses elementos. Pelo chão se conectam. No embate, se submetem, suportam e alavancam. Lançam uns aos outros em desenrolar e sincronizar. Na precisão dos movimentos, nos corpos que se formam em formas, a força e o equilíbrio se baseiam em pele, em contato, em chão. Através do corpo escrevem aquilo que está dentro da alma, a sintonia de armar e desarmar, de olhar dentro do outro e enxergar o seu próprio eu. Atuação de Vanessa Ferreira Calado de Almeida, Vinicius Marques da Silva e Luiza Rodrigues Duarte e orientado por Thalita Santos Nakadomari.
Mamute: Mamú-Nipulación
Passos precisos, um fino jogo de sobrancelhas, e uma forte "mirada"! Com uma postura quase que impecável, quase que charlatã, Mamute dança uma dança quase sensual, com um certo tom excêntrico,  lançando, manipulando e equilibrando seus aros. Joga com a música, com o corpo e com o público!
Leticia Corvo y Lucía Mato (Uruguay): Trapézio e Corda Lisa
Número aéreo extraído do “espectáculo de danza acrobática y acrobacia aérea, en que dos mujeres que habitan lo humano de la espera, su forma, su estructura y sus límites. Un objeto cotidiano que les organiza los modos de actuar en un espacio inusual que desarticula su función, su uso correcto y eficaz. Cuerpos frágiles a pesar de sus músculos, inestables a pesar de equilibrarse sobre otro cuerpo y sobre un objeto suspendido a varios metros de altura. Cuerpos que por más humanos que devengan, conservan sus rasgos animales que pulsan por salir, y son contenidos, y pulsan, y son contenidos, y así. Y allí queda resistir la tentación de fundirse, la ilusión de volver a la unidad, la confusión con la masa. En todo caso: acto de feliz regresión que no está exento de violencia en la animalidad que disuelve lo humano. La tecnificación del cuerpo acrobático ¿avanza? hacia su desarme, hacia su desarticulación como sustancia estable y divisa. Pura técnica o su olvido… ¿qué caminos nos quedan entre ambos
polos que suelen convertirse en estereotipos de lo corporal?  Idea y creación: Virginia Alonso, Leticia Corvo y Lucía Mato; Dirección: Virginia Alonso.
Cauê Marques: A vida é só um detalhe
'A Vida É Só Um Detalhe' é um número circense que reúne tecido acrobático, acrobacia de solo e dança de rua. Mostra de forma implícita dificuldades vividas por pessoas com depressão e ansiedade, pessoas que sofrem com  o estresse e bipolaridade. As idas e vindas do artista entre o solo e o tecido acrobático simbolizam os altos e baixos enfrentados diariamente por estas pessoas que, muitas vezes incompreendidas na sua dor, acabam por dar fim à própria vida.
Gabriel Manzini e Beatriz Mendes - Cia. Usinarte: Duo Acrobático
Dois acrobatas em cena, onde ambos se relacionam por meio de movimentos e posturas acrobáticas, tendo uma harmonia em concentração, equilíbrio, força e respiração, que tomam conta do momento, criando uma expectativa na platéia.
Julia Coelho Franca: MUNDANO: Fragmento aéreo
O número MUNDANO: Fragmento aéreo traz à tona as diferentes perspectivas sobre a relação entre o corpo e o objeto cênico, questionando o modo como o ser humano dialoga com os objetos que o rodeiam. Uma nova linguagem expressiva surge entre o circo e a dança, questionando o que se move e como o corpo é influenciado pelos agentes externos ao mesmo.
Mundano fala do eterno conflito que nos faz pertencentes a este mundo. Carregado de memórias e desejos, movemos e nos deixamos mover, sempre buscando o equilíbrio. Mas, talvez seja no próprio desequilíbrio onde resida o verdadeiro êxtase humano...
Rafael Vilela :  O lago do cisne
Penico Papillon Kacatua e Azevedo fazem um tributo a inveja, com Ballet clássico e música ao vivo!

Domingo

  • Cabaré da RUA (visite facebook)
  • Produção: Rodrigo Mallet
  • Local: Praça da Paz - UNICAMP
Mestres de Cerimônia: Los Circo Los
A partir de um encontro casual entre Rodrigo Mallet e Vitor Poltronieri, a cia. Los Circo Los dava seus primeiros passos no ano de 2004. A crescente dedicação pelas técnicas circenses possibilitou a união de interesses e contribuiu para o desenvolvimento da pesquisa do grupo que associa, desde sua fundação, carisma, alegria e diversão à busca de sua própria identidade, trilhando caminhos e aproximações entre a arte, a academia e a formação artística. Seus integrantes são formados em diferentes áreas do conhecimento: comunicação, educação física, ginástica e dança. Com isso, o grupo possui características peculiares, o que enriquece seu fazer artístico com inúmeras e inovadoras possibilidades. A mescla dessas diferentes experiências gerou grande variedade de repertório, no qual o cômico, o virtuoso e o dramático se comunicam de forma harmoniosa.
João Baptistotti e Gabriela Franco: Dois em um
Amigos verdadeiros permanecem mesmo nas maiores distâncias e nas piores dificuldades. Afinal, o que é a amizade senão duas almas que andam de mãos dadas?
Guga Morales THE SHOWMAN: O Homem Foca
O Homem Foca, é um show que abrange diversas técnicas dentro do circo. Improvisações, comicidade e muito jogo de cintura faz com que o espetáculo seja divertido, leve e surpreendente. O Artista se aperfeiçoou em uma técnica circense tradicional onde equilibra objetos do nosso cotidiano de maneira inesperada,. Equilíbrio de taças sobre o fio de uma Faca, malabarismo com bolas, truques com corda e balões. Acredite se quiser! Tudo isso com muito amor e uma leve pitada de Sarcasmo. Se busca surpresa, sensibilidade e identificação, Seja bem vindo ao Mundo de Guga Morales THE SHOWMAN. Artista circense que atua predominantemente nas ruas, mistura números de equilíbrio extremo com malabarismo. Bufão, provocador e irreverente, já se apresentou em mais de 16 países, definindo um show único e de linguagem universal.

 

Umberto Rosichetti: Dois Seconds
“Dois seconds” é um número minimalista e surrealista no qual a protagonista inquestionável é uma barraca de camping. Doisberto se relaciona com o objeto e o protagonismo varia do ator para a barraca, transformando-a comicamente em uma infinidade de utensílios artísticos. A apresentação utiliza técnicas de teatro de animação, visual-comedy, teatro físico, teatro de objetos e palhaçaria. Animais e instrumentos de uso cotidiano aparecem e levam o público em uma viagem surpreendente pelo universo fantástico de Doisberto.

Aires Coutinho: COM A CORDA NO PESCOÇO
Uma apresentação de diabolo de um malabarista que está sempre com a corda no pescoço. Aires Coutinho através de suas peripécias desafia o público com experimentações inusitadas e malabaristicas, fazendo de tudo para não perder sua cabeça.
Circo Caramba: Palhaço Jerônimo
Thiago Sales é criador da companhia Circo Caramba (Campinas-SP) e desde 2003 dá vida ao Palhaço Jerônimo. Em sua trajetória artística tem se dedicado à pesquisa da palhaçaria e suas relações com a música e modalidades circenses. Atualmente, circula com o espetáculo solo "Jerônimo Show" e com a intervenção "A Banda do Jerônimo: uma inusitada banda de um homem só", além de atuar em diversos coletivos artísticos.

Gabriel Rossi: Gota
O processo de criação do número Gota começou ainda em 2018. Com diversas apresentações consecutivas, e, dois processos de criação intensos na metade desse mesmo ano, o número de malabarismo de contato chama atenção para a manipulação das bolas e brinca com as ‘formas’ da água.

 

 

 

 

Processo de Inscrição

Estão abertas as inscrições de números para os cabarés que acontecerão nos dias 14 e 15 de dezembro de 2018, com início às 20h, e no dia 16 de dezembro ás 17h, como parte da programação do IV Seminário Internacional de Circo, a ser realizado na cidade de Campinas-SP.

I - Das inscrições:
** Inscrições prorrogadas até 05/Out **
Interessad@s em apresentar sua produção artística (números circenses) nos cabarés deverão enviar sua inscrição para ivsic@fef.unicamp.br colocando no Assunto/Subject: “Inscrição Cabaré IV SIC”, do dia 07 ao 30 de setembro de 2018.

Para a inscrição é necessário enviar:

  • o link do vídeo (youtube, por exemplo), sem cortes, do número completo que pretende apresentar;
  • ficha técnica do trabalho, incluindo descrição das necessidades técnicas (Espaço mínimo necessário, tipos de ancoragens, número de participantes, etc…).

Serão selecionadas 13 apresentações de no máximo 5 (cinco) minutos cada, sendo 5 para os Cabarés (espetáculos) dos dias 14 e 15 e 3 para o Cabaré do dia 16. Os selecionados irão compor os espetáculos com outros cinco números convidados.

Cada artista/grupo poderá inscrever uma única apresentação.

É necessário ter disponibilidade para ambos os dias da apresentação. Os números serão distribuídos entre os dois dias buscando a melhor diversidade e composição dos cabarés.

É obrigação dos artistas levar todo o material de trabalho necessário para a apresentação (inclusive materiais de segurança, se necessário). Apenas colchões de queda (30cm) serão disponibilizados pela organização.

A participação no cabaré será por colaboração voluntária (sem cachê). Ao final de cada espetáculo (dos dias 14 e 15), conforme tradição no local onde serão realizados dos espetáculos (o Centro Cultural Casarão – Barão Geraldo), será passado o chapéu, sendo 30% destinado ao local e o restante dividido entre os artistas (igualmente entre os números apresentados). O Cabaré do dia 16 será realizado em espaço aberto no interior da UNICAMP; os números selecionados para este receberão uma ajuda de custo.

A comissão organizadora reserva-se ao direito de:

  • desconsiderar números que não sejam viáveis para o espaço de apresentação;
  • selecionar e/ou convidar, se necessário, mais apresentações para completar a programação;
  • vetar apresentações que não estejam de acordo com as normas de segurança do espaço.

Do espaço e disponibilidades técnicas:

  • Os Cabarés do dia 14 e 15 serão realizados no Espaço Cultural Casarão do Barão, https://centroculturalcasarao.wordpress.com/
  • Os 3 números que serão selecionados para o Cabaré do dia 16 não poderão ser números aéreos, uma vez que o espaço não dispões de estrutura para instalação. Serão selecionados prioritariamente números circenses de rua (praça, etc).

Consulte no endereço abaixo os recursos disponíveis (Rider técnico) do local:
https://drive.google.com/open?id=154bdIvSdZ6FpC08hg_xNCsXgOhFPbgAN