Planejamento Estratégico

Introdução

Planejamento estratégico é um instrumento de gestão utilizado pelas melhores universidades do mundo para orientar as decisões acadêmicas, administrativas e de investimentos. A Unicamp começou discussões sobre a metodologia de planejamento estratégico como mecanismo de tomada de decisão no início dos anos 2000. Em 2004 conseguiu organizar um documento mais sistematizado, o chamado Planes II, que foi apresentado e aprovado pelo Conselho Universitário (Deliberação Consu 405/04).

Naquele documento, explicitou-se a identidade da Unicamp através da sua missão, dos princípios e valores a serem respeitados e da visão de futuro à época. (ATVARS; CRÓSTA, 2016).

 

A FEF

Esse planejamento estratégico apresenta a missão, visão de futuro, princípios, valores e objetivos estratégicos pertinentes aos esforços da FEF para produzir um Planejamento eficiente e participativo, que respeite nossa vocação e tradições sem furtar-se ao desfio de buscar sempre novas alternativas. Fundamental destacar o envolvimento dos diversos setores da unidade na produção desse documento e a união produtiva que hoje vivenciamos entre discentes, servidores técnico-administrativos e pdocentes na construção de nossa Faculdade.

 

Missão

Desenvolver, sistematizar e disseminar conhecimentos da Educação Física, por meio da inovação no Ensino, Pesquisa e Extensão, formando profissionais de excelência, para intervir e transformar a sociedade, com vistas ao exercício pleno da cidadania.

 

Visão de futuro

Ser uma instituição protagonista e de excelência na área de Educação Física, reconhecida pela sociedade no âmbito nacional e internacional, comprometida com a transformação social.

 

Princípios e valores

  • Respeito à diversidade cultural e liberdade de expressão.
  • Valorização da formação e relações humanas.
  • Excelência e indissociabilidade no ensino, na pesquisa e na extensão.
  • Respeito à ética, responsabilidade, transparência, gestão participativa e compromisso público.
  • Reconhecimento do direito de acesso às práticas corporais, esportivas e de lazer voltadas à população em geral e pessoas com deficiências.
  • Promoção da sustentabilidade.
  • Garantia da acessibilidade.

 

Objetivos estratégicos

01 - AUMENTAR AÇÕES EXTRA-MUROS DA UNIVERSIDADE

É preocupação da FEF, eliminar descontinuidades entre a sociedade e universidade, estimulando o fluxo contínuo de saberes e pessoas entre comunidade e instituição de ensino.
a) Otimizar o desenvolvimento de pesquisas aplicadas na Extensão e em parcerias externas;
b) Ampliar as atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão;
c) Dar maior visibilidade nas ações desenvolvidas na Faculdade e que podem ser inseridas nas ações comunitárias e o comprometimento da FEF com as transformações sociais;
d) Aplicar o conhecimento, viabilizando o acesso da população nas práticas esportivas e lazer, em parcerias com as diversas comissões de direitos humanos.

02 - ESTIMULAR A PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE FEF JUNTO AOS CONSELHOS DE POLÍTICAS PÚBLICAS E COLETIVOS

Fazer-se presente junto às entidades de representação pública da sociedade é um dever da universidade como elo imprescindível da vida social.
a) Participar da definição de políticas públicas, contribuindo em programas e projetos;
b) Ampliar a cooperação com setor público e privado;
c) Maior participação do colegiado da FEF junto aos coletivos de luta pelos direitos humanos.

03 - DIFUNDIR E TORNAR ACESSÍVEL O CONHECIMENTO PRODUZIDO PELA FEF

Mais do que produzir conhecimento é preciso dar acessibilidade ao que foi produzido de modo que a sociedade usufrua amplamente dos produtos e serviços da universidade em geral e de nossa unidade em específico.
a) Apoiar e ampliar os canais de comunicação, divulgação e diálogo com a sociedade;
b) Promover ações para que o conhecimento produzido possa ser utilizado pela sociedade;
c) Promover estratégias de difusão do conhecimento buscando interação com a sociedade.


04 - OTIMIZAR O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS APLICADAS NA EXTENSÃO

Dado o sucesso de nossas atividades de extensão, referência na Unicamp, o número de participantes e a variedade de atividades é grande o suficiente para nos fazer vislumbrar a produtividade de pesquisas associadas a estas realidades, o que já vem ocorrendo e pode ser ainda mais estimulado.
a) Integrar Pesquisa e Ensino nos programas de Extensão;
b) Apoiar projetos de extensão que visam atender as demandas da sociedade;
c) Estimular pesquisas multidisciplinares.


05 - FORTALECER GRUPOS DE PESQUISA E INTERNACIONALIZAÇÃO

A pesquisa é uma vocação nata da Unicamp e o momento atual aponta para um intercâmbio cada vez mais efetivo com instituições parceiras no exterior. Criar e estimular estas parcerias é uma prerrogativa da pesquisa atual.
a) Aumentar os recursos para pesquisa;
b) Estimular parcerias e convênios nacionais e internacionais;
c) Modernização dos laboratórios de ensino e pesquisa;
d) Incentivar a participação discente e docente em eventos nacionais e internacionais.


06 - AUMENTAR A CAPTAÇÃO DE RECURSOS

O momento econômico atual do Brasil e das universidades exigem criatividade para o encontro de soluções complementares que garantam o crescimento ininterrupto da instituição. A FEF reúne atratividade para estas captações e seu estímulo faz parte desse planejamento.
a) Promover parcerias públicas e privadas;
b) Desenvolver novos modelos de financiamento das áreas de prestação de serviço;
c) Promover melhorias na gestão de recursos orçamentários e extra orçamentários;
d) Buscar fontes alternativas de financiamento.

07 - PROMOVER ESPAÇOS DE TROCAS PEDAGÓGICAS ENTRE DOCENTES

O trabalho docente enriquece com o intercâmbio de informações e percepções entre os diversos atores da ação pedagógica. No âmbito docente o encontro é imprescindível e deve ser pauta constante.
a) Estimular espaços de coletividade;
b) Acolher a diversidade de experiências;
c) Criar mecanismos para o desenvolvimento profissional no exercício da docência;
d) Gerar maior integração das experiências pedagógicas de docentes antigos com os novos.


08 - MODERNIZAR A INFRAESTRUTURA DO ENSINO PARA ATENDER AS INSERÇÕES DE NOVAS TECNOLOGIAS NO AMBIENTE ACADÊMICO

As novas tecnologias são uma prerrogativa do ensino contemporâneo e de sua interface com o cotidiano. Avaliar e possivelmente implementar novas tecnologias tornou-se conduta acadêmica incontornável.
a) Utilização de ferramentas digitais para o ensino de graduação e pós-graduação;
b) Ampliação da utilização de aplicativos de smartphones e tablets e plataformas digitais em sala de aula;
c) Avaliar e possivelmente implantar ações de ensino à distância.

09 - CONSCIENTIZAR A COMUNIDADE SOBRE A UTILIZAÇÃO DOS ESPAÇOS DA FEF

A FEF possui uma extensa área e nossa vocação é a de receber a comunidade interna e externa no uso desses espaços e equipamentos. Para continuarmos atendendo com qualidade torna-se imperativo regular com responsabilidade o uso e preservação de nossos ambientes, em parceria com os usuários e a comunidade em geral.
a) Promover campanhas educativas e de conscientização;
b) Dar visibilidade aos esforços empreendidos para a correta manutenção dos espaços e equipamentos;
c) Criar espaços de convivência para as comunidades internas e externas.

10 - DESBUROCRATIZAR OS PROCESSOS E PROCEDIMENTOS DE GESTÃO DE TODAS AS ÁREAS

A burocracia é, em grande parte das vezes, um empecilho para uma gestão eficaz e fluida. À medida que a complexidade dos processos se incrementa a preocupação com a desburocratização precisa acompanhar esta complexidade.
a) Utilizar as novas tecnologias para ampliar a eficiência dos serviços prestados;
b) Promover a adequação dos espaços e equipamentos às novas realidades;
c) Rever constantemente os fluxos administrativos;
d) Reavaliar normativas e regulamentações.

11 - DESENVOLVER UMA COMUNICAÇÃO EFICIENTE DAS ATIVIDADES INTERNAS E EXTERNAS DA FEF

O grande volume de atividades promovidas pela FEF ainda não encontra uma visibilidade eficiente junto à comunidade, o que compromete a relação mais produtiva entre as partes. Pode fazer parte de nossas preocupações, entender que esses produtos e serviços devem ser informados à comunidade de modo eficiente.
a) Simplificar e informatizar os processos administrativos e de gestão acadêmica;
b) Desburocratizar as comissões internas;
c) Integrar processos, sistemas e bancos de dados;
d) Capacitar corpo administrativo em processo de gestão.

12 - REVISAR OS PROCESSOS DE PROMOÇÃO DE CARREIRA (DOCENTE E NÃO DOCENTE)

Em razão da evolução natural da carreira pública e da necessidade de adequação constante às realidades, os processos de promoção dos docentes e dos servidores técnico-administrativos merece ser atualizada, sempre de modo justo e transparente como é prática da instituição.
a) Revisar a gestão de quadros, GRs e funções;
b) Atualizar os mecanismos das carreiras docentes, pesquisadores e funcionários;
c) Fomentar iniciativas que estimulem a qualificação para a busca do crescimento profissional.

 

Considerações finais

Ao fim desses esforços, construídos a partir da razão coletiva e do envolvimento dos diversos atores de nossa unidade, partilhamos um sentimento de ação bem-sucedida, ainda que aberta a ajustes sempre que o devir assim exigir. A FEF é uma unidade vibrante e singular no panorama da universidade, traços que entendemos como amplamente demonstrados nos itens acima e que tal planejamento, em seu conjunto, busca, ao mesmo tempo, preservar e incrementar.

 

 

Referência

ATVARS, Teresa Dib Zambon; CRÓSTA, Alvaro Penteado. Planejamento Estratégico da Unicamp 2016-2020. Jornal da Unicamp, 21 de março a 3 de abril de 2016. Disponível em: https://www.unicamp.br/unicamp/ju/650/planejamento-estrategico-da-unicamp-2016-2020 Acesso em: 23 out. 2019.

 

Participantes

Prof. Dr. Orival Andries Junior – Diretor, Prof. Dr. Odilon José Roble – Diretor Associado, Prof. Dr. João Paulo Borin – Coordenador de Pós-Graduação, Profa. Dra. Maria Luiza Tanure Alves – Coordenador de Extensão, Profa. Dra. Paula Teixeira Fernandes - Coordenadora de Graduação, Prof. Dr. Sérgio Settani Giglio – Coordenador Associado da Graduação, Prof. Dr. Prof. Dr. Renato Barroso da Silva – Coordenador do LabFEF, Profa. Dra. Olívia Cristina Ferreira Ribeiro – Coordenadora da Bilioteca, Profa. Dr. Laurita Marconi Schiavon – Chefe do DCE, Prof. Dr. Marco Carlos Uchida – Chefe do DEAFA, Profa. Dra. Elaine Prodócimo – Chefe do DEFH, Emerson Teodorico Lopes – Coordenador Técnico de Unidade, Tânia Gomes Felipe – Administrativo, Renata Cristina Cardoso Ribeiro – Secretária da Direção, Camila Graziela Vanni - Diretora de Serviço Financeiro, Mariângela Cristina Padovani Bartier – Assistente Técnico de Extensão, Simone Malfatti Ganade Ide – Assistente Técnico da Pós-Graduação, Warley Wilton Vianna Pinto – Assistente Técnico da Graduação, Giovana Vergínia de Souza – Assistente Técnico de Pesquisa, Marcelo Eduardo Caruso – Secretário de Departamentos, Dulce Inês Leocádio – Bibliotecária, Lilian Raquel Gonçalves – Recursos Humanos, Edgar Lopes Banhesse - Informática, Newton Homem de Mello Prado – Infraestrutura, Rafael Camargo Vianna – Infraestrutura, Ricardo Seixas Barbosa Maia – Apoio Técnico Didático, Igor Cavalcante Doi - Representante discente de Pós-Graduação, Centro Acadêmico de Educação Física – CAEF, Empresa Júnior e Atlética.

Nosso Agradecimento especial a toda Equipe GEplanes da CGU: Profa. Milena Pavan Serafim, Eloísa Caldeira Durães, Emerson J. Ferri, Gláucia Beatriz de Freitas Lorenzetti, Myrian Cristina de Freitas Lorenzetti e Teresa Helena Portela Freire de Carvalho.

** Baixe aqui o arquivo original em PDF **