Disciplinas

Disciplinas Eletivas I

 

  • FF-091  Educação Física e Cultura

Ementa: Revisão do conceito de cultura tomando como base os pressupostos da Antropologia Social; construção cultural do corpo e suas implicações para a Educação Física, como área acadêmica e como prática pedagógica.
Bibliografia:
ANDRÉ, M. E. D. A. de. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 1995.
CHAUÍ, M. Convite à filosofia. São Paulo: Ática, 1994.
DAMATTA, R. O ofício de etnógrafo,ou como ter “anthropological blues”. In: NUNES, E. de 0. (org.) A aventura sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.
DAOLIO, J. Da cultura do corpo. Campinas: Papirus, 1995.
DAOLIO, J. Cultura: educação física e futebol. 3ed. Campinas: UNICAMP, 2006.
DAOLIO, J. Educação física brasileira: autores e atores da década de 1980. Campinas: Papirus, 1998.
DAOLIO, J. Educação física e o conceito de cultura. Campinas: Autores Associados, 2004.
DURHAM, E. R. Cultura e ideologia. Dados. Vol. 27, n. 1, p. 71-89, 1984.
GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1989.
GEERTZ, C. O saber local: novos ensaios em antropologia interpretativa. Petrópolis: Vozes, 1997.
GEERTZ, C. Nova luz sobre a antropologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.
LAPLANTINE, F. Aprender antropologia. São Paulo: Brasiliense, 1988.
MAUSS, M. Sociologia e antropologia. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.
THOMPSON, J. B. Ideologia e cultura moderna. Petrópolis: Vozes, 1995.
 

  • FF-106  Pedagogia do Esporte

Ementa: Estudo dos procedimentos pedagógicos no processo de iniciação e treinamento em esporte; discussão de novas tendências desta prática levando em conta as múltiplas possibilidades do fenômeno.
Bibliografia:
BALBINO, H. F. Pedagogia do Treinamento: método, procedimento pedagógico e as múltiplas competências dos técnicos nos jogos desportivos coletivos. 2005, tese (doutorado em educação física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas 2005.
BENTO, J. O.; GARCIA, R.; GRAÇA, A. Contextos da Pedagogia do Desporto: perspectivas e problemáticas. Lisboa: Livros Horizontes, 1999.
BENTO, J. O. Desporto – discurso e substância. Porto: Campo das Letras, 2004.
GALLAHUE, D. L. & OZMUM, J. C. Compreendendo o Desenvolvimento Motor: bebês, crianças, adolescentes e adultos. Phorte Editora: São Paulo, 2000.
GRECO, J.P. & BENDA, R. N. Iniciação Esportiva Universal 1: da aprendizagem motora ao treinamento técnico. Belo Horizonte. UFMG, 1998.
PAES, R. R. Aprendizagem e Competição Precoce: o caso do basquetebol. Campinas: Editora da Unicamp, 1996.
__________ .Educação Física Escolar: o esporte como conteúdo pedagógico no ensino fundamental. Canoas:Editora ULBRA, 2001.
__________. Pedagogia do Esporte e os Jogos Coletivos. in: DE ROSE JUNIOR, DANTE. Esporte e Atividade Física na infância e adolescência, Porto Alegre: ARTMED, 2002.
PAES, R. R.; BALBINO,H. F. Pedagogia do Esporte: contextos e perspectivas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.
 

  • FF-129  Educação Física Escolar

Ementa: Análise da preparação e da atuação profissional do professor de Educação Física no âmbito escolar (educação infantil, ensino fundamental e médio).
Obs.: Disciplina com pesquisa de campo.
Bibliografia:
BETTI, Mauro; ZULIANI, Luiz Roberto. Educação física escolar: uma proposta de diretrizes pedagógicas. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, São Paulo, Ano 1, N.1, p.73-81, 2002. Disponível em: http://www3.mackenzie.com.br/editora/index.php/remef/article/viewFile/1363/1065.
BETTI, Mauro et al. Por uma didática da possibilidade: implicações da fenomenologia de Merleau-Ponty para a educação física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Campinas, V.28, N.2, p.39-53, janeiro 2007. Disponível em: http://www.rbceonline.org.br/revista/index.php/RBCE/article/view/54/62.
BRACHT, Valter. Educação física & ciência: cenas de um casamento (in)feliz. Ijuí, Ed. Unijuí, 1999.
BUSSO, Gilberto Leandro. O jogo de futebol no contexto escolar e extraescolar: encontro, confronto e atualização. Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, 2009, 116p. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000436490&opt=3
CAPARROZ, Francisco Eduardo; BRACHT, Valter. O tempo e o lugar de uma didática da educação física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Campinas, V.28, N.2, p.21-37, janeiro 2007. Disponível em: http://www.rbceonline.org.br/revista/index.php/RBCE/article/view/53/61.
COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino de Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.
FERNANDES, Simone C. Os sentidos de gênero em aulas de educação física. Dissertação (mestrado). Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, 2008, 116p. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000436209&opt=1.
FONSECA, Claudia. Quando cada caso NÃO é um caso: pesquisa etnográfica e educação. In Revista Brasileira de Educação. N. 10, 1999, p.58-78. Disponível em: http://www.anped.org.br/rbe/rbedigital/RBDE10/RBDE10_06_CLAUDIA_FONSECA.pdf.
GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1989.
KUNZ, Elenor. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí, Editora Unijuí, 1994.
MAGNANI, José Guilherme C. Antropologia e educação física. In: CARVALHO, Yara M. de; RUBIO, Kátia. Educação física e ciências humanas. São Paulo, Hucitec, 2001, p.17-26.
MOLINA NETO, Vicente. Etnografia: uma opção metodológica para alguns problemas de investigação no âmbito da educação física. In: MOLINA NETO, Vicente; TRIVIÑOS, Augusto N. S. (Orgs.) A pesquisa qualitativa na educação física. Porto Alegre, Ed. Universidade/UFRGS/Sulina, 1999, p.107-139.
OLIVEIRA, Rogério C. de. Na “periferia” da quadra: educação física, cultura e sociabilidade na escola.Tese (doutorado). Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, 2010, 200p. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000768961&fd=y.
SÃO PAULO. Proposta curricular do estado de São Paulo: educação física. Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, 2008. Disponível em: http://www.rededosaber.sp.gov.br/portais/Portals/18/arquivos/Prop_EDF_COMP_red_md_20_03.pdf
SILVA, Alan Marques da. O brincar no contexto escolar : significados das brincadeiras realizadas em aulas de educação física e no recreio. Dissertação (mestrado). Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, 2010, 169p. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000782135&fd=y.
VAGO, Tarcísio Mauro. A educação física na cultura escolar: discutindo caminhos para a intervenção e a pesquisa. In: BRACHT, Valter; CRISORIO, Ricardo (Orgs.) A Educação física no Brasil e na Argentina. Campinas, Autores Associados; Rio de Janeiro, Prosul, 2003, p.197-221.
VAGO, Tarcísio Mauro. Pensar a educação física na escola: para uma formação cultural da infância e da juventude. Cadernos de Formação RBCE. Campinas, V.1, N.1, p.25-41, 2009. Disponível em: http://www.rbceonline.org.br/revista/index.php/cadernos/article/viewFile/930/540.

 

  • FF-146  Metodologia da Pesquisa Científica em Atividade Física, Esporte e Lazer

Ementa: Propiciar oportunidades para o debate de questões relevantes acerca da natureza da ciência e da produção científica tendo como influência o campo das ciências humanas; possibilitar o aprofundamento da discussão metodológica de temas de Educação Física, Esporte e Lazer.
Bibliografia:
ARON, Raymond. As etapas do pensamento sociológico,  (trad. Sergio Bath), São Paulo, Martins Fontes, 1987.
CARVALHO, Alex Moreira et al. Aprendendo metodologia científica, São Paulo, O Nome da Rosa, 2000.
COSTA, Newton Carneiro Afonso. O conhecimento científico, São Paulo, Discurso editorial, 1997.
DIGGINS, John Patrick. Max Weber: a política e o espírito da tragédia (trad. Lizst Vieira e Marcus Lessa), Rio de Janeiro, Record, 1999.
FEYERABAND, Paul. Contra o método (trad. Octanny S. da Mota e leonidas Hegember), Rio de Janeiro, Livraria Francisco Alves, 1977.
FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir (trad. Lígia M. Ponde Varsallo), Petrópolis, Rio de Janeiro, Vozes, 1977.
FREITAS, Maria Ester. Viva a tese: um guia de sobrevivência, Rio de Janeiro, Editora FGV, 2001.
GIANNOTTI, José Arthur. A universidade em ritmo de barbárie, São Paulo, Brasiliense, 1986.
GUTIERREZ, Gustavo Luis. Lazer e prazer: questões metodológicas e alternativas políticas, Campinas, São Paulo, Autores Associados, 2001.
KUHN, Thomas S. A estrutura das revoluções científicas (trad. Beatriz Viana Boeira e Nelson Boeira), São Paulo, Perspectiva, 1996.
OLIVEIRA, Paulo de Salles (org.). Metodologia das Ciências Humanas, São Paulo, Hucitec, UNESP, 1998.
TRAGTEMBERG, Maurício. A delinqüência acadêmica: o poder sem saber e o saber sem poder, São Paulo, Rumo, 1979.
 

  • FF-147  Gênero, Sexualidade e Educação Física

Ementa:  Estudo do gênero e da sexualidade como construções histórico-sociais e sua relação com a Educação Física. Reflexão sobre como essas questões interferem na construção de saberes e nas práticas pedagógicas e profissionais nos diferentes campos de atuação da área.
Bibliografia:
ALTMANN, Helena. Pedagogias da sexualidade e do gênero: educação sexual em uma escola. Rio de Janeiro. Programa de Pos Graduação em Educação: PUC/Rio, Tese-Doutorado, 2005.  
__________ Rompendo fronteiras de gênero: Marias (e) homens na Educação Física. Programa de Pos Graduação em Educação-UFMG, Dissertação-Mestrado, 1998.
ARNAUD, Pierre. et TERRET, Thierry. Histoire du sport feminine. Histoire e identité. Vol 1 e 2. Paris: Harmattan, 1996.
BAILLETTTE, Frédéric & LIOTARD, Philippe.(1999) Sport et virilisme. Montpellier: Quasimodo.
BOURDIEU, Pierre A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999. 160 p.
Cadernos Pagu. Campinas: IFCH-UNICAMP (disponível em www.scielo.br)
CONNEL, Robert. Políticas da masculinidade. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 185-206. jul./dez., 1995.
DELAMONT, Sara. Os papéis sexuais e a escola. Trad. Manuel Ruas. Lisboa, Portugal: Livros Horizonte, 1985. 168 p. (Título original: Sex roles and the school)
DEVIDE, Fabiano P. Gênero e mulher no esporte: historia das mulheres nos Jogos Olímpicos Modernos. Ijui:Ed. UNIJUI, 2005.
Educação e Realidade. (2000) Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Educação, v. 25, n. 2, jul/dez.(Produção do corpo)
FACCIOLI, Ana C. e RIBEIRO, Cláudia. Sexualidade e infância. Moderna, 2000.
FERRARI, Anderson. “Esses alunos desumanos”: a construção das identidades homossexuais na escola. Educação e Realidade, Porto Alegre, n. 28, v. 1, p. 87-111, jan/jul, 2003.
FOUCAULT, Michel. (1986) Microfísica do Poder. 6 ed, Rio de Janeiro: Graal.
_________ Historia da sexualidade; a vontade de saber. 7a. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1985, v.1.  
FRAGA, Alex. Exercícioda informação: governo dos corpos no mercado da vida ativa. Tese (Doutorado). Programa de Pós- Graduação em Educação- UFRGS, Porto Alegre, 2005.
________ A boa forma de João e o estilo de vida de Fernanda. In LOURO, Guacira Lopes, NECKEL, Jane Felipe e GOELLNER, Silvana Vilodre (orgs.). Corpo, gênero e sexualidade. Petrópolis: Vozes, 2003, pp. 95-107.
________. Corpo, identidade e bom-mocismo. Cotidiano de uma adolescência bem-comportada. Belo Horizonte, Autêntica, 2000.
________. Concepções de gênero nas práticas corporais de adolescentes. Revista Movimento, Porto Alegre. v. 2, n. 3, p. 35-41, jul./dez., 1995.
LE VAN, Charlotte. Les grossesses à l’adolescence: normes sociales, réalités vécues. Paris: Harmattan, 1998.
LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho. Ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. 96 p.
________. (Org.) O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.
________. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós- estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.
GOELLNER, Silvana Vilodre. (2003) Bela, maternal e feminina: imagens da mulher na Revista Educação Physica. Ijui: Unijui.
HEBERT, Georges. L’Education Physique Féminine: muscle et beauté plastique. Paris: Librarie Vuibert, 1921.
HEILBORN, Maria Luiza.(Org) Família e sexualidade. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2004.
KARUKA, Marina K. A RBCE e os Anais do CONBRACES: o gênero, o sexismo e a Educação Física em suas páginas. Campinas: FEF, UNICAMP, 2005.
LABRYS, Revista de Estudos Feministas. (2003) Brasília, Unb, v. 4 (Dossiê Corpo), disponível em: http//www.unb.br/ih/ihs/gefem/labrys4/transition.htm
LAQUEUR, Thomas. Inventando o sexo: corpo e gênero, dos gregos à Freud. Rio de Janeiro: Relume-Dumara, 2001.
MEYER, D. (Org.) Saúde e sexualidade na escola. Porto Alegre: Mediação, 1998.
Revista de Estudos Feministas. Florianópolis: UFSC (disponível em www.scielo.br)
Revista Movimento. Porto Alegre: UFRGS, (2003), v.9 (2)
ROHDEN, Fabiola. Uma ciência da diferença: sexo e gênero na medicina da mulher. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2001.
ROMERO, Eliane (Org.) Corpo, mulher e sociedade. Campinas: Papirus, 1995
SANT’ANNA, Denise Bernuzzi (Org.) Políticas do Corpo. São Paulo: Estação Liberdade, 1995
___________. Corpos de passagem: ensaios sobre a subjetividade contemporânea. São Paulo: Estação Liberdade, 2001.
___________(2000) As infinitas descobertas do corpo. Cadernos Pagu, Campinas, n.14, pp.235-249.
SCHPUN, Mônica Raisa. Beleza em jogo. Cultura física e comportamento em São Paulo nos anos 20. São Paulo: Ed. Senac e Boitempo, 1999.
______. Códigos sexuados e vida urbana em São Paulo: as práticas esportivas da oligarquias dos anos vinte. In: ______. (Org.) Gênero sem fronteiras. Florianópolis: Ed. Mulheres, 1997. P. 45-71.
SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99. Jul./dez., 1995.
________. Prefácio a gender and politics of history. Cadernos Pagu – Desacordos, desamores e diferenças. Campinas: UNICAMP, v. 3, p. 11-27, 1994.
________.Deconstructing equality versus difference: or the uses of poststructuralist theory for feminism. Feminist Studies. v. 14 n. 1, p. 33-49, 1988.
SCRATON, Sheila. Educación física de las niñas: un enfoque feminista. Madrid: Marata, 1995.
SOUSA, Eustáquia S. Meninos à marcha, meninas à sombra. Campinas: Programa de pos Graduação em Educação-UNICAMP, tese- Doutorado, 1994.
TERRET, Thierry. (dir.) Sport et genre. Paris: l’Harmattan, 2004. 4 v
VIEIRA, E. M. A medicalização do corpo feminino. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2002.
VIGARELLO, Georges. L’Histoire de la beauté. Paris: Seuil, 2004.
VIGARELLO, Georges. Histoire des pratiques de santé. Le sai net lê malsain depuis le Moyen Age. Paris: Ed. Du Seuil, 1999. 396 p. (ISBN 2-02-020113-5)
WOLF, Naomi. O mito da beleza. Rio de Janeiro: Rocco, 1991.
WOODS, Peter e HAMMERLEY, Martyn. (Ed.) Gênero, cultura y etnia en la escuela. Informes etnográficos. Barcelona, Espanha: Mininstério de Educación y Ciência, 1995.
 

  • FF-152  Sociologia do Esporte

Ementa: Estudos do esporte como componente da cultura; o espetáculo esportivo e a ampliação do significado social do esporte no processo de globalização.
Bibliografia:
Gebara, Ademir. “Norbert Elias e a teoria do processo civilizador: contribuição para a nálise e a pesquisa no campo do lazer”.  In: Brunhs, Heloisa Turini(org.). Temas sobre lazer. Campinas: Autores Associados, 2000, p. 33-46.
Reis, Heloisa Helena Baldy dos. “ Lazer e esporte: a espetacularização do futebol”. In: Brunhs, Heloisa Turini(org.). Temas sobre lazer. Campinas: Autores Associados, 2000, p. 131-143.
3 . Dunning, Eric. El fenómeno deportivo: estúdios sociológicos en torno al deporte, la violência y la civilización. Barcelona: Paidotribo, 2003, pp.1-187 e 255-325.
Hargreaves, Jennifer. “Promesa y problemas em el ócio y los deportes femeninos. In: Brohm, J.M. et al. Materiales de sociologia del deporte. Madrid: La Piqueta, s.d.
6. Reis, H. H. B. dos Futebol e violência. Campinas: Editora Autores Associados. 2006.
Bibliografia complementar
Betti, Mauro. “Entre assistir e praticar: educação física, esporte, televisão e lazer”.  In: Marcellino, Nelson Carvalho(org.). Lúdico, educação e educação física. Ijuí: Unijuí, 1999, pp. 213-230.
Bracht, Valter. Esporte, história e cultura. In: Proni, M. e Lucena, R. Esporte: história e sociedade. Campinas: Autores Associados, 2002.
Elias, Norbert. Introdução. In: Elias, Norbert & Dunning, Eric. A busca da excitação. Lisboa: Difel, 1992, pp. 39-99.
Elias, Norbert. A génese do deporte moderno: um problema sociológico. In: Elias, Norbert & Dunning, Eric. A busca da excitação. Lisboa: Difel, 1992, pp. 187-221.
Lucena, Ricardo de Figueiredo. Elias: individualização e mimesis no esporte. In: Proni, M. e Lucena, R. Esporte: história e sociedade. Campinas: Autores Associados, 2002.
Moura, Eriberto Lessa. O futebol como área reservada masculina. In: Daolio, Jocimar (org.) Futebol, cultura e sociedade. Campinas, Autores Associados, 2005, pp. 131-147.
Murphy, Patrick, Williams, John & Dunning, Eric. Desordem no futebol e imprensa: processos de amplificação e redução numa perspectiva histórica. In: O Futebol no banco dos reús.  Oeiras: Celta, 1994, pp. 95-124.
Murphy, Patrick, Williams, John & Dunning, Eric. Comunidade, masculinidade e futebol: a vida dos rapazes de kingsley. In: O Futebol no banco dos reús.  Oeiras: Celta, 1994, pp. 125-159.
Reis, Heloisa Helena Baldy dos.  Espetáculo futebolístico e violência: uma complexa relação. In: Daolio, Jocimar (org.) Futebol, cultura e sociedade. Campinas, Autores Associados, 2005, pp. 105-130.
Reis, Heloisa Helena Baldy dos. Futebol e sociedade: uma análise histórica. Revista HISTEDBR Online, Faculdade de Educação Unicamp, v. 10, 2003. www.histedbr.fae.unicamp.br/revis.html
Escher, Thiago Aragão e Reis, Heloisa Helena Baldy dos. Futebol e televisão: fechem os portões, liguem as câmeras – o show vai começar. Campinas: Conexões, n.3, v.1. 2005. www.unicamp.br/fef
Toledo, Luiz Henrique de. A invenção do torcedor de futebol. In: Costa, Márcia Regina da (et. al.) Futebol espetáculo do século. São Paulo: Musa Editora, 1999, pp. 146-153-166.
Janine, Renato. Apresentação a Norbert Elias. In: Elias, Norbert. O processo civilizador: uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994, v. 1, pp. 9-12.
Elias, Norbert. Prefácio. In: O processo civilizador: uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994, v. 1, pp. 13-19.
Elias, Norbert. Introdução à Edição de 1968. In: O processo civilizador: uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994, v. 1, pp. 214-251.
Reis, Heloisa Helena Baldy dos.  Futebol e sociedade: as manifestações da torcida. Campinas, Tese de doutorado (em Educação Física), 1998, Faculdade de Educação Física da UNICAMP.
Reis, H. H. B. dos e Escher, T. A. Futebol e sociedade. Brasília. 2006 (no prelo).
Lyra Filho, João.  Introdução à sociologia dos desportos. Rio de Janeiro: Bloch, 1973.
Elias, Norbert & Dunning, Eric.  A busca da excitação no lazer. In: Elias, Norbert & Dunning, Eric. A busca da excitação. Lisboa: Difel, 1992, pp. 101-138.
 

  • FF-153  História do Corpo e da Educação Física

Ementa: Estudos do corpo como objeto histórico de conhecimento e suas implicações para a Educação Física; história e historiografia da Educação Física.
Bibliografia:
Livros e teses
ADORNO, Theodor. (1993). Mínima Morália. São Paulo: Ática.
ALMEIDA, Milton José de. Cinema Arte da Memória. Campinas/SP: Autores Associados,1999.
ANDRIEU, Bernard. Le Dictionaire du corps en sciences humaines et solciales. Paris: CNRS Editions, 2006.  
BAILLETTTE, Frédéric &LIOTARD, Philippe.(1999) Sport et virilisme. Montpellier: Quasimodo.
BAKHTIN, Mikhail. (1987) Cultura Popular na Idade Média e no Renascimento; o contexto de François Rabelais. São Paulo: Hcitec.
BLOCH, Marc. [s.d.]Introdução à História.(5a.ed.) Mira-Sintra: Europa América.
BRUCKNER, Pascal. (2000) L’Euphorie Perpétuelle: Essai sur le devoir de bonheur. Paris: Grasset.
CANGUILHEM, Georges. (1982) O normal e o patológico. Rio de janeiro: Forense.
COURTINE, Jean-Jacques (dir.). Histoire du corps: les mutations du regard. Le XXème siecle.Paris: Seuil, 2006.
CORBIN, Alain. (1991)Bastidores, in: PERROT, Michelle(Org.). História da Vida Privada. Da Revolução Francesa à Primeira Guerra Mundial. São Paulo, Companhia das Letras, v. 4. pp. 413-611.
__________. L´Avènement des loisirs: 1850-1960. Paris: Aubier, 1995.
__________.(dir.). Histoire du corps: de la Révolution à la Grande Guerre. Paris: Seuil, 2005, v. 2.
DANTAS, Eduardo R. O corpo modificado, os discursos da mídia e a educação multirreferencial. 2002. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, UFRN, Natal.
DANTAS, Eduardo. (2002) O corpo modificado, os discursos da mídia e a educação multireferencial. Dissertação (Mestrado). Programa de Estudos de Pós Graduação em Educação-UFRGN, Natal.
DUARTE, Regina Horta.(1995) Noites Circenses: Espetáculos de circo e teatro nas Minas Gerais no Século XIX. Campinas/SP: Editora da UNICAMP.
ERASMO DE ROTERDÃO. A civilidade pueril. Lisboa: Estampa, 1978 [publicado pela primeira vez no século XVI].
ELIAS, Norbert. (1994)O Processo Civilizador: uma História dos Costumes. 2 ed, Rio de Janeiro: Jorge Zahar, v. I.
FISCHLER, Claude. La  symbolique du gros. Communication. Paris: Seuil, 1987, n. 46, p. 255-278.
FOUCAUT, Michel. (1986)Microfísica do Poder. 6.ed, Rio de Janeiro: Graal.
FRAGA, Alex. (2003)A boa forma de João e o estilo de vida de Fernanda. In LOURO, Guacira Lopes, NECKEL, Jane Felipe e GOELLNER, Silvana Vilodre (orgs.). Corpo, gênero e sexualidade. Petrópolis: Vozes, pp. 95-107.
________ (2005) Exercício da informação: governo dos corpos no mercado da vida ativa. Tese (Doutorado). Programa de Pós- Graduação em Educação- UFRGS, Porto Alegre.
GLEYSE, Jacques.(1995) Archéologie de l’éducation physique au XXe siècle em France: le corps occulté . Paris: PUF.
________(1997)L’instrumentalisation du corps: une archéologie de la rationalization instrumentale du corps, de l’Âge classique à l’époque hypermoderne. Paris: L’Harmattan.
GOELLNER, Silvana Vilodre. (2003) Bela, maternal e feminina: imagens da mulher na Revista Educação Physica. Ijui: Unijui.
GOMBRICH, H. E. (1993)A História da Arte.15 ed, Rio de Janeiro: LCT- Livros Técnicos e Científicos Editora S. A .
HASSE, Manuela. (1999) O divertimento do corpo: corpo, lazer e desporto na transição do século XIX para o XX em Portugal. Lisboa: Temática.
JAQUES-DALCROZE, Emille. Le rythme, la musique et l’éducation. Paris: Editions Foetich, 1920.
JAHAN, Sébastien. (2004) Les renaissances du corps en Occident (1450-1650). Paris: Belin.
LÉVI-STRAUSS, C. Introdução à obra de Marcel Mauss. In: MAUSS, M. Sociologia e antropologia. São Paulo: Edusp, 1974, v. 1.
LE BRETON, David. Anthropologie de la douleur. Paris: Métailié, 1995.
____________. Que sais-je? La sociologie du corps. 5.ed. Paris: PUF, 2004.
KRUSE, Maria Henriqueta Luce. (2004) Os poderes dos corpos frios: das coisas que se ensinam às enfermeiras. Brasília: ABEn.
MERCURIAL, J. (1973) Arte Gimnástico. Madrid: instituto Nacional de Educacion Física, 1569.
PARISOLI, Maria  Michela Marzano. (2002) Penser les corps. Paris: PUF.
PORTER, Roy. (1992)História do Corpo, in: BURKE, Peter. A Escrita da História: Novas Perspectivas. São Paulo: Editora UNESP.
PAZ, Octávio.(1993) A Outra Voz. São Paulo: Siciliano.
RABELAIS, François.(1986) Gargantua. São Paulo: Hucitec, 1532.
REVEL, Jacques. (1991)Os Usos da Civilidade, in: ARIÉS, Philippe e Duby, Georges (Org.). História da Vida Privada. Da Renascença ao Século das Luzes. São Paulo: Companhia das Letras, v. 3, pp. 169-209.
SANT’ANNA, Denise Bernuzzi(Org.).(1995) Políticas do Corpo. São Paulo: Estação Liberdade.
_____________(2001) Corpos de passagem: ensaios sobre a subjetividade contemporânea. São Paulo: Estação Liberdade.
_____________(1995) Corpo e História. Cadernos de Subjetividade. PUC/SP.
____________ (1997) Dossiê Corpo. Cadernos de Subjetividade. São Paulo, v. 5 no. 2.
____________(2000)As infinitas descobertas do corpo. Cadernos Pagu, Campinas, n.14, pp.235-249.
____________(2000) Do glamour ao “sex-appeal”: notas sobre a história do embelezamento feminino entre 1940-1960. História e Perspectivas. Uberlândia, jul/dez, n.23, pp. 115-128.
SFEZ, Lucien. (1995) A saúde perfeita: critica de uma utopia. Lisboa: Instituto Piaget.
SENNET, Richard. (1988) Carne e pedra: o corpo e a cidade na civilização ocidental. São Paulo: Companhia das letras.
SEVCENKO, Nicolau.(1998) A capital irradiante: técnica, ritmos e ritos do Rio. In SEVCENKO, Nicolau (org.) História da vida privada no Brasil. República :  da Belle Époque à Era do Rádio. São Paulo: Companhia das Letras, v. 3, pp. 513-654.
SILVA, Ana Márcia. (1999)O Corpo do Mundo: Reflexões Acerca da Expectativa de Corpo na Modernidade. Florianópolis-UFSC - Tese. Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humana.
_______(2001) Corpo,Ciência e Mercado: reflexões acerca da gestação de um novo arquétipo da felicidade. Campinas/Florianópolis: Autores Associados Editora da UFSC.
SOARES, Carmen Lúcia. (1998) Imagens da Educação no Corpo. Campinas/SP: Autores Associados.
________(org.).(2001) (Corpo e História. Campinas: Autores Associados.
STEINER, George. (1992) No Castelo do Barba Azul: algumas anotações para a redefinição da cultura.  Lisboa: Relógio D’Agua, 1971.
VIGARELLO, Georges. Histoire du corps: De la Renaissance au Lumières.  Paris: Seuil, 2005, v. 1.
_____________. L’Histoire de la beauté. (2004)Paris: Seuil.
_____________.Le Sain et le Malsain: Santé et Mieux-Être depuis le Moyen Âge. Paris: Seuil, 1993.
____________O limpo e o sujo: uma história da higiene corporal. São Paulo:Martins Fontes,1996.
____________.(2001) Le  corps redressé: histoir d’un pouvoir pédagogique. Paris: Armand Colin, 1978.
____________(2002) Du jeu ancien au show sportif: la naissance d’un mythe. Paris: Seuil.
____________. L’invention de la gymnastique au XIX siècle: mouvements nouveax, corps nouveau. In: VIGARELLO, Georges (org.) Anthologie de textes historiques. Paris: EPS, 2001, p. 4 -5
VERNE, Júlio. (1995) Paris no Século XX. São Paulo: Ática, 1863.
VINCENT, Gerard. Uma história do segredo? In PROST, Antoine e VINCENT, Gérard(orgs.). História da vida privada: da Primeira Guerra a nossos dias. São Paulo: Companhia das Letras, 1992,  v. 5, pp. 155-390.
GÓMEZ, Zandra Pedraza. En cuerpo y alma: visiones del progreso y de la felicidad. Bogota: Corcas, 1999.
VINCENT, Gérard. (1987)Uma história do segredo?. In: PROST, Antoine ; VINCENT, Gérard (orgs). História da vida privada: da Primeira Guerra aos nossos dias.São Paulo:  Companhia das Letras, 2001, v. 5.
RABINBACH, Anson. The human motor: enregy, fatigue, and the origens of modernnity. Berkeley-Los Angeles: University of california Press, 1992.
ZARANKIN, Andrés. Paredes que domesticam: arqueologia da arquitetura escolar capitalista. Campinas: Centro de História da Arte e Arqueologia, IFCH-Unicamp-Fapesp, 2002.
Periódicos
Revue Corps&Culture(2004), n. 6/7, (Métissages), Montpellier:Arceaux.
Caderno Cedes. (1999) Campinas, n. 48, set . (Temática Corpo e Educação)
Revista Brasileira de Ciências o Esporte. (2003-2004) Campinas, v.25 e 26, n.1, set  e jan . (Pesquisa Histórica em Educação Física e Esporte)
Revista Pro-Posições. (2003) Campinas, Faculdade de Educação,Universidade Estadual de Campinas, v.14, n. 2(41), maio-ago. (Dossiê A visibilidade do corpo)
Educação e Realidade. (2000) Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Educação, v. 25, n. 2, jul/dez.(Produção do corpo)
Revista Projeto História. (2002). São Paulo, PUC, Departamento de História, v.25. (Corpo e Cultura).
LABRYS, Revista de Estudos Feministas. (2003)Brasília, Unb, v. 4 (Dossiê Corpo), disponível em: http//www.unb.br/ih/ihs/gefem/labrys4/transition.htm
 

  • FF-155  Seminários Avançados em Corpo e Educação Física

Ementa: Seminários de aprofundamento relacionados ao Corpo e Educação Física.
Bibliografia:
Livros e teses
ADORNO, Theodor. (1993). Mínima Morália. São Paulo: Ática.
ALTMAMNN, Helena. Pedagogias da sexualidade e do gênero: educação sexual em uma escola. Rio de Janeiro. Programa de Pos Graduação em Educação: PUC/Rio, Tese-Doutorado, 2005.  
__________ Rompendo fronteiras de gênero:Marias (e) homens na Educação Física. Programa de Pos Graduação em Educação-UFMG, Dissertação-Mestrado, 1998.
ARNAUD, Pierre. et TERRET, Thierry. Histoire du sport feminine. Histoire e ientité. Vol 1 e 2. Paris: Harmattan, 1996.
BAILLETTTE, Frédéric &LIOTARD, Philippe.(1999) Sport et virilisme. Montpellier: Quasimodo.
BLOCH, Marc. [s.d.]Introdução à História.(5a.ed.) Mira-Sintra: Europa América.
DEVIDE, Fabiano P. Gênero e mulher no esporte: historia das mulheres nos Jogos Olímpicos Modernos. Ijui:Ed. UNIJUI, 2005.
FOUCAULT, Michel. (1986)Microfísica do Poder. 6.ed, Rio de Janeiro: Graal.
_________ Historia da sexualidade; a vontade de saber. 7a. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1985, v.1.  
FRAGA, Alex. (2003)A boa forma de João e o estilo de vida de Fernanda. In LOURO, Guacira Lopes, NECKEL, Jane Felipe e GOELLNER, Silvana Vilodre (orgs.). Corpo, gênero e sexualidade. Petrópolis: Vozes, pp. 95-107.
________ (2005) Exercício da informação: governo dos corpos no mercado da vida ativa. Tese (Doutorado). Programa de Pós- Graduação em Educação- UFRGS, Porto Alegre.
LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós- estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.
___________ O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autentica, 2000.
GOELLNER, Silvana Vilodre. (2003) Bela, maternal e feminina: imagens da mulher na Revista Educação Physica. Ijui: Unijui.
HEBERT, Georges. L’Education Physique Féminine: muscle et beauté plastique.Paris: Librarie Vuibert, 1921.
HEILBORN, Maria Luiza.(org) Família e sexualidade. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2004.
KRUSE, Maria Henriqueta Luce. (2004) Os poderes dos corpos frios: das coisas que se ensinam às enfermeiras. Brasília: ABEn.
KARUKA, Marina K. (2005) A RBCE e os Anais do CONBRACES: o gênero, o sexismo e a Educação Física em suas páginas. Campinas: FEF, UNICAMP.
LAQUEUR, Thomas. Inventando o sexo: corpo e gênero, dos gregos à Freud. Rio de Janeiro: Relume-Dumara, 2001.
ROHDEN, Fabiola. Uma ciência da diferença: sexo e gênero na medicina da mulher. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2001.
SANT’ANNA, Denise Bernuzzi(Org.).(1995) Políticas do Corpo. São Paulo: Estação Liberdade.
_____________(2001) Corpos de passagem: ensaios sobre a subjetividade contemporânea. São Paulo: Estação Liberdade.
_____________(1995) Corpo e História. Cadernos de Subjetividade. PUC/SP.
____________ (1997) Dossiê Corpo. Cadernos de Subjetividade. São Paulo, v. 5 no. 2.
____________(2000) As infinitas descobertas do corpo. Cadernos Pagu, Campinas, n.14, pp.235-249.
____________(2000) Do glamour ao “sex-appeal”: notas sobre a história do embelezamento feminino entre 1940-1960. História e Perspectivas. Uberlândia, jul/dez, n.23, pp. 115-128.
SFEZ, Lucien. (1995) A saúde perfeita: critica de uma utopia. Lisboa: Instituto Piaget.
SILVA, Ana Márcia. (1999)O Corpo do Mundo: Reflexões Acerca da Expectativa de Corpo na Modernidade. Florianópolis-UFSC - Tese. Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humana.
_______(2001) Corpo,Ciência e Mercado: reflexões acerca da gestação de um novo arquétipo da felicidade. Campinas/Florianópolis: Autores Associados Editora da UFSC.
SOUSA, Eustáquia S. Meninos à marcha, meninas à sombra. Campinas: Programa de pos Graduação em Educação-UNICAMP, tese- Doutorado, 1994.
SOARES, C. L. (org.).(2001) Corpo e História. Campinas: Autores Associados.
TERRET, Thierry. (dir.)Sport et genre. Paris: l’Harmattan, 2004. 4 v
VIGARELLO, Georges. L’Histoire de la beauté. (2004)Paris: Seuil.
____________(2001) Le  corps redressé: histoir d’un pouvoir pédagogique. Paris: Armand Colin, 2001, 1978
____________(2002) Du jeu ancien au show sportif: la naissance d’un mythe. Paris: Seuil.
WOLF, Naomi. O mito da beleza. Rio de Janeiro: Rocco, 1991.
Periódicos
Revue Corps&Culture(2004), n. 6/7, (Métissages), Montpellier:Arceaux.
Caderno Cedes. (1999) Campinas, n. 48, set . (Temática Corpo e Educação)
Revista Brasileira de Ciências o Esporte. (2003-2004) Campinas, v.25 e 26, n.1, set  e jan . (Pesquisa Histórica em Educação Física e Esporte)
Educação e Realidade. (2000) Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Educação, v. 25, n. 2, jul/dez.(Produção do corpo)
LABRYS, Revista de Estudos Feministas. (2003)Brasília, Unb, v. 4 (Dossiê Corpo), disponível em: http//www.unb.br/ih/ihs/gefem/labrys4/transition.htm
Revista de Estudos Feministas. Florianópolis:UFSC (disponível em www.scielo.br)
Cadernos Pagu. Campinas:IFCH-UNICAMP (disponível em www.scielo.br)  
Revue Internaionale dês sciences du sport et de l’éducation physique (STAPS). Montpellier-França (2004), n. 66 (Sécial Activités physiques et genre).
Revista Movimento Porto Alegre: UFRGS, (2003), v.9 (2)
 

  • FF-156  Seminários Avançados em Educação Física Escolar

Ementa: Seminários de aprofundamento relacionados à Educação Física Escolar.
Bibliografia:
DAMATTA, Roberto. O ofício de etnólogo, ou como ter “anthropological blues”. In: NUNES, Edson de O. (org.) A aventura sociológica. Rio de Janeiro, Zahar, 1978.
DAOLIO, Jocimar. Da cultura do corpo. Campinas, Papirus, 1995.
DAOLIO, Jocimar. A antropologia social e a educação física: possibilidades de encontro. In: CARVALHO, Yara M. de; RUBIO, Kátia. Educação física e ciências humanas. São Paulo, Hucitec, 2001, p.27-38.
DAOLIO, Jocimar. Educação física e o conceito de cultura. Campinas, Autores Associados, 2004.
DAOLIO, Jocimar. Cultura: educação física e futebol. 3ed. Campinas, Unicamp, 2006.
FERNANDES, Simone C. Os sentidos de gênero em aulas de educação física. Dissertação (mestrado). Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, 2008, 116p.
FONSECA, Claudia. Quando cada caso NÃO é um caso. In Revista Brasileira de Educação. N. 10, 1999, p.58-78.
Disponível em:www.anped.org.br/rbe/rbedigital/rbe10_06_claudia_fonseca.pdf.
GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1989.
LAPLANTINE, François. Aprender antropologia. São Paulo, Brasiliense, 1988.
MAGNANI, José Guilherme C. Antropologia e educação física. In: CARVALHO, Yara M. de; RUBIO, Kátia. Educação física e ciências humanas. São Paulo, Hucitec, 2001, p.17-26.
MAUSS, M. Sociologia e antropologia. São Paulo, Cosac & Naify, 2003.
OLIVEIRA, Rogério C. de. Educação física, escola e cultura: o enredo das diferenças. Dissertação (mestrado). Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, 2006, 101p.
SÃO PAULO. Proposta curricular do estado de São Paulo: educação física. Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, 2008. Disponível em: http://www.rededosaber.sp.gov.br/portais/Portals/18/arquivos/Prop_EDF_COMP_red_md_20_03.pdf
 

  • FF-158  Seminários Avançados em Lazer e Sociedade

Ementa: Seminários de aprofundamento relacionados ao Lazer.
Bibliografia:
BRACHT, Valter.  Educação Física escolar e lazer. In: Werneck, Christianne Luce Gomes. Lazer, Recreação e Educação Física.BH: Autêntica, 2003 p. 147-173
MUNNÉ, Frederic. Psicosociologia del tiempo libre. México. Trillas, 1984.
SNYDERS, George. Para onde vão as pedagogias não directivas? Moraes Editores:Lisboa- Portugal, 1978
TURINO, Célio. Na trilha de Macunaima : ocio e trabalho na cidade. SESC/SENAC: São Paulo, 2005.
Bibliografia recomendada:
ADORNO. As palavras e os sinais – Adorno (cap. Tempo Livre)
AMARAL, Sílvia. Políticas Públicas. In: Gomes, Christianne. Dicionário Crítico de Lazer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.
___________. Políticas Públicas de Lazer e participação cidadã: entendendo o caso de Porto Alegre. Campinas, SP, 2003.
AZEVEDO, Janete. Educação como política pública. Campinas: Autores Associados, 2001
BRESSAN, Suimar. Introdução à teoria da sociedade e estado. Ijuí: Unijuí, 1987.
CAMARGO, Luiz Octávio. O que é lazer. Coleção Primeiros Passos : Brasiliense.
CAVALCANTI, Cátia. EPT: um discurso ideológico
CUNHA, Newton. A felicidade imaginada.
DE GRAZIA, Sebastian. Tiempo, trabajo y ócio
DIAZ BORDENAVE. O que é participação. São Paulo: Brasiliense, 1985.
DUMAZEDIER, Jofre. Sociología empírica do lazer
KAPLAN, Max. Leisure: theory and policy
LEFEBVRE, Henry. A questão urbana.
LAFARGUE, Paul. O direito à preguiça.
MARCUSE. A ideologia da sociedade industrial.
MARCELLINO, Nelson Carvalho. Lazer e educação
________________Pedagogia da imaginação.
MIRANDA, Nicanor. 1200 jogos infantis ( a introdução)
FALEIROS, Vicente de Paula. O que é política social. São Paulo: Brasiliense, 1986.
FILIPINOVA. O homem, o trabalho e os lazeres .
FERREIRA, Acácio. Lazer operário.
FREUD. Mal estar da civilização
FRIEDMAN, Georges. O trabalho em migalhas.
GAELZER, Lenea. O comportamento no lazer
___________. Lazer: benção ou maldição
___________.Ensaio à liberdade
PARKER, Stanley. A sociologia do lazer
PRUDENSKI. O tempo e o trabalho
PETROSJAN. O tempo fora do trabalho dos trabalhadores da URSS
REIS, Wanderley. Política e racionalidade
REQUIXA, Renato. Lazer e ação comunitária
RIESMAN, David. A multidão solitária
SANT’ ANNA, Denise. O prazer justificado.
SANTOS, Milton. Espaço do cidadão.
VEBLEN, Thorstein. Teoria da classe ociosa.
 

  • FF-176 Desenvolvimento Neuropsicológico

Ementa: Os diferentes estágios do desenvolvimento motor e dos níveis de funcionamento do Sistema Nervoso para a regulação dos processos que propiciam a motricidade. Análise dos principais processos neuropsicológicos envolvidos com a aprendizagem (emoções, cognição, percepção). As ações da criança e do adolescente em seu meio social e em específico na escola e as relações com o profissional e o conteúdo de Educação Física.
Bibliografia:
DAMASCENO, B. P.; COUDRY, M. I. H. Temas em neuropsicologia e neurolinguística. São Paulo: Tec Arte, vol. 4. 1995.
DE MARCO, A. Consciência do Corpo: Uma Abordagem Neuropsicológica. In: Wagner Wey Moreira. (Org.). Século XXI - A Era do Corpo Ativo. Campinas: Papirus, 2006.
DE MARCO, A. Educação física e desenvolvimento humano. In: DE MARCO, A. (Org.).Educação Física: cultura e sociedade. 6. ed. Campinas: Papirus, 2011.
GAZZANIGA, M. S.; IVRY, R. B.; MANGUN, G. R. 2. ed. Neurociência Cognitiva. Porto Alegre: Artemed, 2006.
GUTTMANN, G. Introdução à neuropsicologia. São Paulo: Manole, 1977.
HAYWOOD, K. M.; GETCHELL, N. Desenvolvimento Motor ao Longo da Vida. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.
KANDEL, E. R.; SCHWARTZ, J. H.; JESSELL, T. M. Fundamentos da neurociência e do comportamento. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.
LÚRIA, A. R. Fundamentos de neuropsicologia. São Paulo: Edusp, 1981.
LÚRIA, A. R. Desenvolvimento cognitivo: seus fundamentos culturais e sociais. São Paulo: Ícone, 1990.
MACHADO, A. B. M. Neuroanatomia funcional. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2002.
MOURA-RIBEIRO, M. V. L.; GONÇALVES, V. M. G. Neurologia do desenvolvimento da criança. Rio de Janeiro: Revinter, 2006.
PAPALIA, D. E.; OLDS, S. W.; FELDMAN, R. D. Desenvolvimento Humano. 10. ed. São Paulo: McGraw-Hill, 2009.
PINEL, J. P. Biopsicologia. 4. ed. Madrid: Pearson Educación, 2001.
 

  • FF-177  Psicologia do Esporte

Ementa: Estudo das principais teorias da psicologia aplicadas ao esporte. Abordam-se tópicos tais como: ansiedade e stress, emoção, motivação, coesão grupal e liderança.                 
Bibliografia:
A bibliografia será definida quando do oferecimento da primeira turma.
 

  • FF-178  Políticas de Educação Física, Esporte e Lazer

Ementa: Estudos dos referenciais teóricos balizadores da análise das políticas em Educação Física, Esporte e Lazer.                 
Bibliografia:
Amaral, S. C. Políticas públicas de lazer e participação cidadã: entendendo o caso de Porto Alegre. Unicamp:Tese de Doutorado, 2003
______. Espaços e vivências de lazer em Porto Alegre: da consolidação da ordem burguesa à busca da modernidade urbana. In: CBCE.  Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Vol. 23, nº 1, p.p. 109-123.
Amaral, Sílvia e COSTA, Eduardo Tadeu. Possibilidades de matricialidade na administração pública do lazer. (no prelo), 2008.
Arendt, Hannah. As esferas pública e privada. In: Arendt, Hannah. A condição humana. RJ: Florense, 1995
Azevedo, Janete. A Educação como Política Pública. Campinas, SP: Autores Associados, 2001.
Bobbio, N., Matteuci, N. e Pasquino, G. Dicionário de Política.(vol. I e II) 5ª ed.: Brasília:UNB e SP: Imprensa Oficial, 2000
______.  Estado, Governo e Sociedade – Para uma teoria geral da política. Rio de Janeiro:Paz e Terra, 1987.
Campos, Gastão Wagner de Sousa. Um método para análise e co-gestão de coletivos. São Paulo; Hucitec; 2000
Campos, Gastão Wagner de Sousa; Domitti, Ana Carla. Apoio matricial e equipe de referência: uma metodologia para gestão do trabalho interdisciplinar em saúde. Cadernos de Saúde Pública. 23(2):399-407, fev. 2007.
Cecilio, Luiz Carlos de Oliveira. Inventando a mudança na saúde. Säo Paulo, HUCITEC, 1994.
Faleiros, Vicente de Paula. O que é política social.São Paulo: Brasiliense, 1986
Ferraro, Alceu e Ribeiro, Marlene. Trabalho, educação e lazer-construindo políticas públicas.Pelotas:Educat, 2001.
Gomes, Christianne. Dicionário Crítico de Lazer. Belo Horizonte: Autêntica,2004.
Levy, Evelyn e Graco, Pedro Aníbal. Gestão Pública no Brasil Contemporâneo (org) . FUNDAP: Casa Civil, 2005.
Marcassa, Luciana. A invenção do lazer- educação, cultura e  o tempo livre na cidade de São Paulo (1888-1935). Dissertação de mestrado, Goiânia: UFG, 2002.
Menezes, Vilde. Políticas Públicas para esporte e lazer. Recife: Bagaço, 2002.
Marcellino, N. Lazer e esporte: políticas públicas. Campinas: SP, Autores Associados, 2001
Munné, Frederic. Psicosociología del tiempo libre: un enfoque crítico. México, D.F.: Editorial Trillas, 1980.
Offe, Claus. Problemas estruturais do Estado Capitalista. RJ: Tempo Brasileiro, 1984.
Padilha, Valquíria (org). Dialética do Lazer. São Paulo: Cortez, 2006.
Proni, Marcelo e Figueiredo, Lucena (org). Esporte –história e sociedade. Campinas: Autores Associados, 2002.
Reis, Fábio Wanderley. Política e racionalidade – problemas de teoria e método de uma sociologia crítica da política. Belo Horizonte: UFMG,  2000.
Rojek, C.  Capitalism and leisure. New York, USA: Tavistock Publication, 1985.
Testa, Mario. Pensar em saúde. Porto Alegre; Artes Médicas; 1992.
Uribe Rivera, Francisco Javier(org); Matus, Carlos; Testa, Mario. Planejamento e programaçäo em saúde: um enfoque estratégico. Säo Paulo; Cortez; 1992. 222 p

 

  • FF-181  Seminário em Sociologia do Esporte

Ementa: Seminários de aprofundamento relacionados à Sociologia do Esporte.  
Bibliografia:
Dunning, Eric. El fenómeno deportivo: estúdios sociológicos en torno al deporte, la violência y la civilización. Barcelona: Paidotribo, 2003.
Murphy, Patrick, Williams, John & Dunning, Eric. Desordem no futebol e imprensa: processos de amplificação e redução numa perspectiva histórica. In: O Futebol no banco dos reús.  Oeiras: Celta, 1994.
Reis, Heloisa Helena Baldy dos. Futebol e violencia. Campinas: Autores Associados, 2006.
 

  • FF-183  Seminário em Pedagogia do Esporte

Ementa: Seminários de aprofundamento relacionados à Pedagogia do Esporte.                 
Bibliografia:
ARAÚJO, D. “A auto-organização da acção tática”. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, vol 3. N. 3, 87-93, 2003.
BAYER, C. “O ensino dos desportos colectivos”. Lisboa: Dinalivro, 1994.
DAOLIO, J. “Jogos esportivos Coletivos: dos princípios operacionais aos gestos técnicos – modelo pendular a partir das idéias de Claude Bayer”. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, v 10 n. 4, p. 99-103, 2002.
GARGANTA, J. “Para uma teoria dos jogos desportivos coletivos”. In GRAÇA, A., OLIVEIRA, J. (Org.) “O ensino dos jogos desportivos”. 3 ed. Faculdade de Ciências do Desporto e da Educação Física: Universidade do Porto, 1998.
GRAÇA, A. “Os comos e os quandos no ensino dos jogos desportivos coletivos”. In GRAÇA, A., OLIVEIRA, J. (Org.) “O ensino dos jogos desportivos”. 3 ed. Faculdade de Ciências do Desporto e da Educação Física: Universidade do Porto, 1998.
GRECO, P. J.; BENDA, R. N. Iniciação Esportiva Universal I: da aprendizagem motora ao treinamento técnico. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.
GRECO, P. J.; BENDA, R. N. Iniciação Esportiva Universal II: da aprendizagem motora ao treinamento técnico. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1999.
GRIFFIN, L. L., MITCHELL, S. A., OSLIN, J. L. “Teaching sport concepts and skill: a tactical games approach”. Champaing: Human Kinetics, 1997.
LEONARDO, L.; SCAGLIA, A. J.; REVERDITO, R. S. O ensino dos esportes coletivos: metodologia pautada na família dos jogos. Motriz, Rio Claro, v. 15, n. 2, p. 236-246, 2009.
MESQUITA, I. “Contributo para a estruturação das tarefas no treino de Voleibol”. In OLIVEIRA, J., TAVARES, F. “Estratégia e Táctica nos jogos desportivos coletivos”. Porto. Centro de Estudos dos Jogos Desportivos/Universidade do Porto, 1996.
OLIVEIRA, J., TAVARES, F. “Estratégia e Táctica nos jogos desportivos coletivos”. Porto. Centro de Estudos dos Jogos Desportivos/Universidade do Porto, 1996.
PAES, R. R. A Pedagogia do Esporte e os Jogos Coletivos. In: ROSE JR., D. (Org.).  Esporte e Atividade Física na Infância e na Adolescência: uma abordagem multidisciplinar. Porto Alegre: Editora Artmed, 2002.
PEREZ MORALES, J.C., GRECO, P.J. “A influência de diferentes metodologias de ensino-aprendizagem-treinamento no basquetebol sobre o nível de conhecimento tático processual”. Revista Brasileira Educação Física e Esportes, São Paulo, v. 21, n. 4, 291-299, 2007.
REVERDITO, R. S., SCAGLIA, A. J. “Pedagogia do esporte: jogos coletivos de invasão”. São Paulo: Phorte, 2009.
REVERDITO, R.; SCAGLIA, A. J.; PAES, R. R. Pedagogia do esporte: panorama e análise conceitual das principais abordagens. Motriz, Rio Claro, v. 15, n. 3, p. 600-610, 2009.
REVERDITO, R. S.; SCAGLIA, A. J. A gestão do processo organizacional do jogo: uma proposta metocológica para o ensino dos jogos coletivos. Motriz, Rio Claro, v. 13, n. 1, p. 51-00, 2007.
SCAGLIA, A.J. “O futebol e as brincadeiras de bola”. São Paulo: Phorte, 2011.
SCAGLIA, A. J. “O futebol e as brincadeiras de bola com os pés: todos semelhantes, todos diferentes”. In: VENÂNCIO, S.; FREIRE, J. B. (Org.). O Jogo Dentro e Fora da Escola. Campinas, SP: Autores Associados, 2005b.
 

  • FF-184  Tópicos Especiais em Educação Física e Sociedade I

Ementa: Temas e problemas relativos aos estudos e pesquisas sobre Educação Física, Esporte e Lazer e suas implicações na sociedade contemporânea.           
Bibliografia:
COSTA, Cláudia de Lima. O sujeito do feminismo: revisitando os debates. Cadernos Pagu, n. 19, p. 59-90, 2002.
DUNNING, Eric e MAGUIRE, Joseph. As relações entre os sexos no esporte. Estudos feministas, n. 2, p. 321-348, 1997.FAUSTO-STERLING, Anne. Dualismos em duelo. Cadernos Pagu, v. 17/18, p. 9-79, 2001/2002.
SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99. Jul./dez., 1995.
MATOS, Marlise. Teorias de gênero ou teorias e gênero? Se e como os estudos de gênero e feministas se transformaram em um campo novo para as ciências. Rev. Estud. Fem., Florianópolis, v. 16, n. 2, ago. 2008.
GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1989.

 

FF-192 Tópicos de Psicologia em Educação Física Escolar
Ementa: Abordagem de tópicos da Psicologia e suas relações com a Educação Física Escolar.
Bibliografia:
ARAUJO, U.F. Conto de Escola: a vergonha como um regulador de moral. São Paulo: Moderna, 1999.
DAMÁSIO, Antônio R. O erro de Descartes: emoção, razão e cérebro humano.
São Paulo: Companhia das Letras, 1996.
___________. O mistério da consciência: do corpo e das emoções ao conhecimento de si. Trad. Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das letras, 2000.
DELNERO H.S. O sítio da mente: pensamento, emoção e vontade do cérebro humano. São Paulo: Collegium, Cognitio, 1997.
GARDNER, Howard. Estruturas da mente: a teoria das inteligências múltiplas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.
________. Inteligência: um conceito reformulado. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.
GOULD, S.J. A Falsa Medida do Homem. São Paulo: Martins Fontes, 1991.
GUIMARÃES, A.M. A dinâmica da Violência escolar. Conflito e ambiguidade. Campinas: Autores Associados, 2005.
MACEDO, L. (org). Cinco Estudos de Educação Moral. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1996.
MARINA, J.A. A Teoria da Inteligência Criadora.Lisboa: Editorial Caminho, 1995.
MARTINS, J.M. a Lógica das Emoções na Ciência e na Vida. Petrópolis: Vozes, 2004.
VYGOTSKY, L.S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins fontes, 2002.
WINNICOTT, D.W. Tudo Começa em casa. São Paulo: Martins Fontes, 2005.
WINNICOTT, D.W. Privação e Delinqüência. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FF-193 Filosofia e Estética do Corpo e do Movimento
Ementa: A Filosofia como modo de reflexão radical, rigoroso e de conjunto sobre temas gerais das humanidades, entre eles o corpo e o movimento. O recorte da Estética como reverberação do belo, sistematicamente abordado pelo método filosófico. Aproximações teóricas do universo da Educação Física a partir desses dois eixos de investigação epistemológica.

Bibliografia:
ANGELES, P. A. Philosophy. New York: Harper Collins, 1992.
BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Edições 70, 2010.
BRUYNE, P.; HERAMAN, J.; SCHOUTHEETE, M. Dinâmica da pesquisa em Ciências Sociais. São Paulo: Francisco Alves, 1991.
DESCARTES, R. Meditações metafísicas. São Paulo: Martins Fontes, 2000.
FOUCAULT, M. História da loucura. São Paulo: Perspectiva, 2004.
___________, M. Nascimento da Biopolítica. São Paulo: Martins Fontes, 2008.
GADAMER, H. G. A razão na época da ciência. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1983, 106p.
MARTINICH, A. P. Ensaio Filosófico: o que é, como se faz. Loyola: São Paulo, 2002.
SUASSUNA, A. Introdução à Estética. Rio de Janeiro: José Olympio, 2004.

  • FF-201 Pesquisa em Ginástica​

Ementa: Análise crítica da produção científica acerca da Ginástica. Reflexões teórico-metodológicas sobre as pesquisas no campo da ginástica. Estudo das principais problemáticas e do impacto da pesquisa na contemporaneidade.

Bibliografia: 

JEMNI, M. et al. The Science of Gymnastics. Routledge, Francis and Taylor ,  2011.
PAOLIELLO, E. (org.). Ginástica Geral: experiências e reflexões. São Paulo: Phorte Editora, 2008.
SALMELA, John H. (Org.) (1974): The Advanced Study of Gymnastics. Charles C. Thomas Publisher, Springfield, USA.
​SANDS, W.A., CAINE, D. J. y BORMS, J. (2003): Scientific Aspects of Womens Gymnastics. Revista Medicine and Sport Scienci, vol. 45.
​SCHIAVON, L.M.; BORTOLETO, M.A.C.; NUNOMURA, M.; TOLEDO, E. (Org.). Ginástica de alto rendimento. Várzea Paulista-SP: Editora Fontoura, 2014.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ARKAEV, L. I. SUCHILIN, L. How to Create Champions: The Theory and Methodology of Training Top-Class Gymnasts. Londres: Meyer & Meyer, 2009.
BENTO, Jorge Olímpio. Contextos e perspectivas. In: BENTO, Jorge Olímpio; GARCIA, Rui; GRAÇA, Amândio. Contextos da Pedagogia do Desporto: perspectivas e problemáticas. Lisboa: Livros Horizonte, 1999.
​BORTOLETO, Marco Antonio Coelho. La lógica interna de la Gimnasia Artística Masculina (GAM) y estudio etnográfico de un  Gimnasio de alto rendimiento. Tese de doutorado, UDL, 2004.
THOMAS, L., FIARD, J., SOULARD, C. e CHAUTEMPS, G. (1997): Gimnasia Deportiva: De la escuela… a las asociaciones deportivas. Editorial Agonos, Lérida.
CUK, I; KARÁCSONY, I. Floor exercises: methods, ideas, curiosities, history. Ljubljana: Ljubljana Univ. Press, 2005.
​HUGUEENIN, A. 100 years of the International Gymnastics Federation 1881-1981. FIG, [1981?].
​LAGARDERA, Francisco; LAVEGA, Pere (2003): Introducción a la Praxiología Motriz . Paidotribo, Barcelona.
​NUNOMURA, M. Técnico de ginástica artística: uma proposta para a formação profissional. 2001. Xxxf. Tese (Doutorado em Educação Física) Faculdade de Educação Física, da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.
​PARLEBAS, Pierre. Juegos, deportes y sociedad: Léxico de Praxiología Motriz. Barcelona: Paidotribo, 2001. - EXCLUIR
​PARRA-RINALDI, I.B. A Ginástica como área de conhecimento na formação profissional em Educação Física: encaminhamentos para uma reestruturação curricular. 2005. 232f. Tese (Doutorado em Educação Física), Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.
RIBAS, J. F. M. (org.). JOGOS E ESPORTES: FUNDAMENTOS E REFLEXÕES DA PRAXIOLOGIA MOTRIZ. Santa Maria, Ed. Universidade Federal de Santa Maria.
​SCHIAVON, Laurita Marconi. Ginástica Artística feminina e História Oral: a formação desportiva de atletas brasileiras participantes de Jogos Olímpicos (1980-2004). 2009. 379f. Tese (Doutorado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas-SP, 2009.
​SIERRA, Elena Palmeiro (2011): Análisis de la comunicación motriz en la modalidad de conjuntos en gimnasia rítmica y su relación con los resultados del campeonato del mundo de Moscú 2010. Las Palmas: Acción Motriz, enero-junio, 2001, pp.10-20.
​SMOLEUSKIY, V. e GAVERDOUSKIY, I. Tratado General de Gimnasia Artística Deportiva. Editora Paidotribo, Barcelona, 1991.
SOUZA, Elizabeth Paoliello Machado de. Ginástica Geral: uma área do conhecimento da Educação Física. 163f. Tese (Doutorado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1997.
THOMAS, L., FIARD, J., SOULARD, C. e CHAUTEMPS, G. (1997): Gimnasia Deportiva: De la escuela… a las asociaciones deportivas. Editorial Agonos, Lérida.
TOLEDO, Eliana de. A legitimação da ginástica de academia na modernidade: um estudo da década de 80. 2010.  257f. Tese (Doutorado em História Social), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.

 

  • FF-202 ​Sobre Corpo, Beleza, Saúde, Sucesso e Atividade Física​

Ementa: Análise interdisciplinar, especialmente a partir de uma abordagem histórica e sociológica, das relações existentes entre as concepções de corpo e os processos para constituí-lo como um lugar privilegiado para ostentar os modelos modernos de beleza, saúde e sucesso, por meio da atividade física e da ginástica.

Bibliografia: 

Básica:

CARVALHO, Y. M. O “mito”da atividade física e saúde. 3a. ed. São Paulo: Hucitec, 2004.
​EHRENBERG, A. Le culte de la performance. Paris: Hachette Littératures, 2008.
FRAGA, A. B. Exercício da informação – governo dos corpos no mercado da vida ativa. Campinas: Autores Associados, 2006.
ORTEGA, F. O corpo incerto – corporeidade, tecnologias médicas e cultura contemporânea. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.
​SFEZ, L. A saúde perfeita – crítica de uma nova utopia. trad. Marcos Bagno. São Paulo: Unimarco e Loyola, 1997.
SILVA, A.M. Corpo, ciência e mercado – reflexões acerca da gestação de um novo arquétipo de felicidade. Campinas: Autores Associados; Florianópolis: UFSC, 2001. Coleção Educação Física e Esportes.
​VIGARELLO, G. História da beleza. Trad. Léo Schlafman. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006.

Complementar:

ALMEIDA, M. J. A liturgia olímpica. In: SOARES, C. L. (org). Corpo e História. Campinas: Autores Associados, 2001. Coleção Educação Contemporânea.
ALONSO, C. A. M. Vigorexia: enfermedad o adaptación. Revista Digital Buenos Aires. v. 11, n. 99, 2005.
​BERTEVELLO, G. Academias de ginástica e condicionamento físico – desenvolvimento. In: DA COSTA, L. (org). Atlas do esporte no Brasil: atlas do esporte, educação física e atividades físicas de saúde e lazer no Brasil. Rio de Janeiro: Shape, 2005.
​BETTI, M. Educação Física e Sociedade. São Paulo: Movimento, 1991.
CARVALHO, Yara Maria de ; Manoel, E.J.. A survey of body practices and primary health care in a district of São Paulo, Brazil. Motriz : Revista de Educação Física (Online)http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/images/curriculo/jcr.gif, v. 21, p. 75-83, 2015.
CASTRO, A. L. Culto ao corpo e sociedade – mídia, estilos de vida e cultura de consumo. 2a. ed. São Paulo: Annablume/FAPESP, 2007.
​COURTINE, J. J. Os Stakhanovistas do narcisismo: body building e puritanismo ostentatório na cultura Americana do corpo. In: SANT’ANNA, D. B. (org.). Políticas do Corpo. 1a. reimpressão. São Paulo: Estação Liberdade, 1995.
DANTAS, E. R. A produção biopolítica do corpo saudável – Mídia e subjetividade na cultura do excesso e da moderação. 2007. 207f. Tese (Tese de Doutorado), Faculdade de Educação, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal:2007.
​DICKERMAN, R. D.; SCHALLER, F.; PRATHER, I.; McCONATHY, W. J. Sudden cardiac death in a 20-year-old bodybuilder using anabolic steroids. Cardiology. v. 86, n. 2, p. 172-173, 1995.
​DÖRRENBERG, M. T. S. Os corpos no cinema. In: INTEGRAÇÃO – ensino, pesquisa, extensão. São Paulo: Centro de Pesquisa da Universidade São Judas Tadeu, Ano XII, no.47 , p.339-344, out/nov/dez 2006.
ELIAS, N. O processo civilizador. Trad. Ruy Jungmann; revisão e apresentação Renato Janine Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.
ESTEVÃO, A. e BAGRICHEVSKY, M. Cultura da “Corpolatria” e body-building: notas para reflexão. In: REVISTA MACKENZIE DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE, São Paulo: Editora Mackenzie. v.3, ano 3, p.13-25, 2004.
​FOUCAULT, M. Vigiar e Punir – nascimento da prisão. 31ª. ed. Petrópolis: Vozes, 1987.
FRAZÃO, D.P.; COELHO FILHO, C.A.A.  Motivos para a prática de ginástica em academias exclusivas para mulheres. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, Jan-Mar; 29(1), pp.149-158, 2015.
​GIDDENS, A. Modernidade e identidade pessoal. Oieiras: Celta, 1997.
​LAMBERT, C. P.; FRANK, L. L.; EVANS, W. J. Macronutrient considerations for the sport of bodybuilding. Sports Med. v. 34, n. 5, p. 317-327, 2004.
​LASCH, Christopher. La cultura del narcisismo. Bercelona: Andrés Bello, 1999.
​MARTIN-BARBERO, J. Dos meios às mediações – comunicação, cultura e hegemonia. 6a. ed. Trad. Ronald Polito e Sérgio Alcides. Rio de Janeiro: UFRJ, 2009.
MEDEIROS, Regina de Paula. As emoções desnaturadas do sujeito: o bonito, o feio e a arte de viver na sociedade contemporânea. RBSE – Revista Brasileira de Sociologia da Emoção, v. 14, n. 40, pp. 100-108, abril de 2015. 
MIRA, M. C. O leitor e a banca de revistas -  A segmentação da cultura no século XX. São Paulo: Olho d’Água/FAPESP, 2001.
​MISKOLCI, R. Corpos elétricos: do assujeitamento à estética da existência. In: Revista Estudos Femininistas, Florianópolis: v.14, n.3, p. 681-693, set/dez 2006.
PINTO, R. N. A educação do corpo e o processo civilizatório: a formação de “estátuas pensantes”. In: Revista CONEXÕES, Campinas. v.2, n. 2, p. 18-41, 2004.
​RAGO, M. Cultura do narcisismo, política e cuidado de si. In: SOARES, C. L. (org). Pesquisas sobre o corpo – ciências humanas e educação. Campinas: Autores Associados; São Paulo: FAPESP, 2007. Coleção Educação Física e Esportes.
​SAUTCHUK, C. E. A medida da gordura -  o interno e o íntimo na academia de ginástica. In: MANA. v.13, n.1, p.181-205, 2007.
SILVA, A. M. Elementos para compreender a modernidade do corpo numa sociedade racional. In: SOARES, C. L. (org). Corpo e Educação. Campinas: Centro de Estudos Educação e Sociedade - CEDES, 1999. Coleção CADERNOS CEDES, no. 48.
SOARES, C.L. (org). Pesquisas sobre o corpo – ciências humanas e educação. Campinas: Autores Associados; São Paulo: FAPESP, 2007. Coleção Educação Física e Esportes.
TOLEDO, E. A legitimação da ginástica de academia na modernidade: um estudo da década de 80. 2010. Doutorado (História Social), Programa de Pós-graduação em História, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.